Publicado 07 de Dezembro de 2019 - 1h00

Por Carlo Carcani Filho

O campeão, os classificados para a Libertadores e três rebaixados para a Série B já são conhecidos, mas ainda assim a 38ª e última rodada do Brasileirão terá dois jogos muitos interessantes, daqueles que vão fazer o telespectador mudar de um canal para o outro várias vezes durante os 90 minutos.

Um deles – Cruzeiro x Palmeiras – será tenso, com mais garra do que técnica e, provavelmente, com muitos erros provocados por pesadelos que só o fantasma da Série B é capaz de evocar. Se fosse um filme, a partida do Mineirão poderia ser comparada a um drama. O final será de arrancar lágrimas de tristeza ou, quem sabe, de emoção.

O outro – Santos x Flamengo – tem tudo para ser um espetáculo digno de encerrar uma temporada em que Jorge Jesus e Sampaoli quebraram paradigmas. Não tenho dúvidas de que o Brasileirão 2019 vai mudar o futebol que será praticado no País nas próximas temporadas. Se fosse um filme, o encontro entre ambos na Vila seria um filme de ação, com intensos e frequentes ataques de duas das maiores forças do campeonato.

O tema da coluna de hoje será o drama. Uma queda de divisão sempre é triste, mas quando atinge um clube grande a repercussão é enorme. Em virtude da diferença de orçamentos, é normal que times como Avaí, Chapecoense e CSA estejam entre os rebaixados. É o que todos esperam que aconteça. Mas com o Cruzeiro...

Bicampeão da Copa do Brasil, o time mineiro iniciou o Brasileirão como um dos favoritos. Sua folha de pagamento é a terceira maior do campeonato. Um mês de salário do Cruzeiro paga um semestre do elenco do Ceará, seu adversário direto na luta pela permanência na elite.

Para um time com essa estrutura chegar à última rodada com risco de 80% de queda é preciso fazer muita coisa errada durante muito tempo. Mas isso será assunto para a próxima semana. Hoje o que todas as torcidas que estão secando o Cruzeiro querem saber é se o time tem alguma chance de escapar.

A situação é crítica. O Cruzeiro jogará em um Mineirão lotado, mas toda a energia da torcida pode se transformar em veneno rapidamente se as coisas não começarem bem.

A força do adversário também é um grande problema. O Palmeiras briga pelo vice-campeonato com um rival e tem interesse na partida.

O Cruzeiro tem desfalques nas laterais e no setor de armação. Thiago Neves, que participou diretamente de 11 dos 27 gols do time, está afastado por indisciplina.

O Cruzeiro não vence há oito rodadas. O Palmeiras é o segundo melhor visitante do Brasileirão.

Que drama.

Escrito por:

Carlo Carcani Filho