Publicado 04 de Dezembro de 2019 - 20h04

Por Carlo Carcani Filho

Campeão brasileiro em 2016. Vice-campeão brasileiro em 2017. Campeão brasileiro em 2018. Terceiro colocado ou vice-campeão brasileiro em 2019.

Poucas vezes na história do Brasileirão um time conseguiu viver uma sequência como a que o Palmeiras ostenta no momento. Ainda assim, vive dias de intensa crise, com forte insatisfação nas arquibancadas e um tsunami provocado pelas quedas do técnico Mano Menezes e do diretor Alexandre Mattos, homem forte do futebol nesse período de conquistas.

É curioso notar que em 2017 o time perdeu o título brasileiro para o Corinthians, mas a reação interna nem se compara com a atual. Mattos continuou no cargo e montou o time que ergueu a taça no ano passado.

Por que a derrota de 2019 foi mais difícil de digerir? Por que perder o mesmo título para um adversário de outro estado teve consequências bem mais graves?

Tenho uma teoria para essas perguntas. O Palmeiras atingiu nos últimos anos um patamar de arrecadação que o credencia ser o maior vencedor do futebol brasileiro nos próximos anos.

Tanto é que verdade que depois de perder o título de 2017, já o reconquistou em 2018, com uma campanha impressionante. Em 2017, o Corinthians foi campeão com 72 pontos e 50 gols. O Verdão deu o troco com 80 pontos e 64 gols. O clube sabia que estava em um nível superior ao do rival.

O problema de 2019 é que a hegemonia prevista para as próximas temporadas foi seriamente ameaçada por um Flamengo arrasador.

Sob o comando de Jorge Jesus, o time carioca precisou de apenas 36 rodadas para pulverizar as marcas dos últimos campeões. Já são 87 pontos e 80 gols, conquistados com um futebol bonito e ofensivo. Nada de poupar jogadores de forma desnecessária. Nada de se dar por satisfeito com empates fora de casa. Nada de saber sofrer para segurar vitórias magras de 1 a 0.

O Flamengo joga para ganhar em qualquer estádio e costuma alcançar esse objetivo com folga, mesmo nos jogos mais difíceis. Foi dessa forma que com poucos meses de trabalho Jesus conquistou dois títulos e derrubou Mano Menezes, Felipão e Fábio Carille, técnicos conservadores que triunfaram nas últimas temporadas.

O Flamengo criou um novo cenário no futebol sul-americano e ninguém foi mais afetado por essa mudança do que o Palmeiras, um time que trocou o papel de campeão dominante pelo de mais um coadjuvante.

Como o Palmeiras vai tentar voltar ao topo? Isso é assunto para a coluna de amanhã.

Escrito por:

Carlo Carcani Filho