Publicado 06 de Dezembro de 2019 - 18h27

Por AFP

O Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) reduziu a sanção ao Chelsea nesta sexta-feira, que havia sido suspenso de contratar jogadores devido a infrações na aquisição de menores, passando de duas janelas de transferência para uma, já concluída no verão passado, o que permitirá que contrate em janeiro.

"O Chelsea está proibido de registrar novos jogadores durante uma janela de transferências, que o clube já cumpriu durante a janela de verão de 2019", escreveu o TAS em comunicado.

"O Chelsea está livre para contratar jogadores pela janela de transferências", afirmou mais tarde a equipe de Londres, que havia sido vetada pela Comissão de Apelações da Fifa no início de maio até 31 de janeiro de 2020.

O TAS também reduziu a multa ao clube, que passa de 600.000 a 300.000 francos suíços (273.000 euros), a quem ele alegou não ter respeitado os regulamentos sobre transferências internacionais de 27 menores.

Manifestando sua "gratidão" ao TAS por sua "diligência", o Chelsea também considerou que "se a Fifa continuar a impor sanções incoerentes e injustas aos clubes, prejudicará até a missão deste regulamento": a proteção aos menores.

Dessa forma os Blues, comandados nesta temporada pelo lendário Frank Lampard, não conseguiram contratar um substituto para o astro Eden Hazard, transferido para o Real Madrid por cerca de 100 milhões de euros, embora possa não ser a prioridade, após o surgimento de um grupo de interessantes jovens jogadores.

A imprensa inglesa revelou em setembro de 2017 a existência de uma investigação ao Chelsea. O jornal The Guardian informou meses depois que o burquinês Bertrand Traoré, agora no Lyon, foi inscrito em 2014, depois de fazer 18 anos, mas a publicação cita uma partida de categorias inferiores disputada pelo atacante aos 16 anos, em outubro de 2011.

Após a investigação o Football Leaks publicou que Traoré havia sido transferido em 2011 da Association Jeunes Espoirs de Bobo-Dioulasso (AJEB), em Burkina Faso, para o Chelsea por 400.000 libras, operação que o clube inglês classificava como "opção".

A Fifa já sancionou outros clubes por não respeitarem a regulamentação de menores. Em 2014 o Barcelona não pôde contratar em duas janelas, enquanto que em 2016 o Atlético de Madrid e o Real Madrid receberam uma pena similar.

O Real Madrid obteve uma diminuição da sanção (um mercado) por parte do TAS, enquanto que o Atlético não pôde contratar até janeiro de 2018.

Protagonista de um bom início de temporada, ocupando a quarta posição sob o comando de Lampard, o Chelsea enfrenta um dilema: seguir confiando em seus novos talentos - Fikayo Tomori, Mason Mount, Tammy Abraham e Callum Hudson-Odoi -, que estão apresentando um grande resultado, ou trazer grandes nomes, com o risco de ofuscá-los.

A imprensa publicou que o clube teria 177 milhões de euros para contratações, mas Lampard preferiu a moderação, mostrando sua confiança nos promissores "Baby Blues".

Escrito por:

AFP