Publicado 05 de Dezembro de 2019 - 8h26

Por Estadão Conteúdo

Owen Dennis, criador do famoso desenho Apenas Um Show, já está de malas prontas para o Brasil, onde vai participar de um painel na Comic Con Experience (CCXP) 2019, já na próxima sexta-feira, 6, no Auditório do Cinemark. No entanto, o convidado do Cartoon Network vem para divulgar a segunda temporada de seu novo trabalho, o Trem do Infinito - um pouco menos conhecido.

Apenas um Show foi cancelado em 2018, após oito temporadas. Ele começou em 2005. Mas esse não foi o foco de Owen durante a conversa que teve por telefone com o Estado. Ele quer mesmo é falar de Trem do Infinito. "Estou muito ansioso para falar com o público sobre o show, do que ele se trata e o que eles podem esperar com a chegada da segunda temporada."

O desenho conta a história de Tulip, uma jovem de 12 anos, filha de pais separados e que vem de um lar disfuncional. Com uma pegada ultramoderna, a personagem é uma programadora de jogos e, consequentemente, uma gamer. Durante uma briga com a mãe, ela foge até a floresta e embarca em um trem misterioso, onde conhece o robô One-One. Porém, as coisas fogem de controle assim que ela percebe que cada vagão é um mundo particular e interminável, que não permite brecha para uma fuga.

No Brasil

Com uma estreia tímida, o desenho foi exibido pela primeira vez no Brasil em 2016, sem dublagem e com legendas em inglês. Tudo muito simples. No entanto, para quem acompanhou com atenção, foi possível perceber a mensagem de inclusão que há por trás da ficção.

"Quero transmitir sentimentos de empatia e falar da necessidade da mudança. Quero mostrar que todos nós somos diferentes e que temos problemas em nossas vidas, mas que, mesmo sem perceber, estamos lidando diariamente com eles."

E, acredite, nada aqui é mera coincidência. O fato de Tulip carregar em si tantas características fortes e muito específicas, como o fato de vir de um ambiente agressivo, em que brigas e decepções são constantes, é aquele detalhe a mais que faz todo sentido no final.

"O que torna a pessoa perfeita para embarcar no trem é o fato de que esse é um local hostil e que somente pessoas que já lidaram com eventos incontroláveis, como o fato de seus pais se divorciarem, por exemplo, conseguem sobreviver em um universo ilógico onde as regras nem sempre são válidas. Mas, além da viagem, o mais importante é ver o que se aprende após passar por uma experiência tão intensa", explica.

Aos fãs, e navegantes de primeira viagem que também se apaixonaram por Tulip, temos um spoiler: a jovem volta para a segunda temporada, ainda sem data de estreia no Brasil. "Agora é a hora de vermos o que mudou após os eventos da primeira temporada", finaliza.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Escrito por:

Estadão Conteúdo