Publicado 02 de Outubro de 2019 - 16h03

Por Adagoberto F. Baptista

Nome do homem: José Geraldo Alves Coutinho

Alenita Ramirez

[email protected]

Foto: Rubinho Queiroz

Um homem de 58 anos foi preso em flagrante na noite de anteontem, em Indaiatuba, suspeito de estuprar a enteada de 14 anos, que tem hidrocefalia. J.G.A.C., foi detido por guardas municipais depois que a mulher, mãe da menina, o denunciou. Ela filmou o abuso e depois o levou até o centro, próximo a delegacia, onde pediu ajuda. A garota pode estar grávida.

O crime aconteceu no bairro Cidade Nova. As suspeitas são de que o abuso venha ocorrendo há, pelo menos, uns dois meses. O homem era casado com a mãe da menina há 14 anos e cuidava da garota como se fosse filha dele. A mulher, de 36 anos, dona de casa, afirma que não sabia da violência e só descobriu após a filha mais velha de 19 anos, desconfiar do abuso e orientá-la a filmar.

A filha mais velha passou a viver com a mãe há três meses e suspeitou dos abusos na última segunda-feira, quando folgou no trabalho. Como o padrasto não sabia da folga da jovem, ele aproveitou que a mulher foi na escola buscar o filho do casal, de 8 anos, e pegou a menina que estava deitada no quarto e a levou para o quarto do casal, onde praticou o abuso. A irmã também estava no quarto, mas não foi vista pelo homem porque estava enrolada na coberta, na parte de cima do beliche. Ela escutou a irmã pedir para o “pai” parar e depois de um certo tempo a viu entrando no quarto se vestindo.

A jovem decidiu contar para a mãe na manhã do dia seguinte, após o padrasto sair para o trabalho e sugeriu que a mãe baixasse um aplicativo no celular e deixasse o aparelho no quarto. A mãe seguiu as orientações da filha e conseguiu flagrar o crime. “Sou explosiva, falo, xingo, mas desta vez agi friamente. Ainda não consigo acreditar. Quando voltei da escola, peguei o celular e o fone de ouvido e fui no banheiro para verificar. Vi apenas um trecho porque ele entrou no banheiro. Então o chamei para me levar ao centro da cidade e levei as crianças”, contou.

A mulher afirma que deu desculpas para o marido e seguiu até uma praça, próximo a delegacia, onde conseguiu terminar de ver o vídeo e correu até a unidade policial e pediu ajuda a um GM que estava na porta. O marido foi detido na praça, enquanto a esperava.

Segundo a mulher, a garota só fala palavras básicas, como fome, sede e ir ao banheiro e nunca se queixou de nada. A filha mais velha também foi estuprada pelo padrasto quando tinha 10 anos, porém, na época, a mulher não acreditou e a filha foi morar com o pai, na Capital. A garota mais nova fez corpo de delito ontem e também passou por exames para verificar se está grávida.

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista