Publicado 01 de Outubro de 2019 - 16h36

Por Daniel de Camargo

Daniel de Camargo

AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

FOTOS: WAGNER SOUZA

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), lançou, ontem, o Programa Centro Vivo, que consiste em uma série de intervenções urbanas simultâneas focadas na requalificação e melhoria da convivência no Centro. Uma das iniciativas prevê a instalação da segunda Casa da Cidadania, local onde as pessoas em situação de rua podem tomar banho, receber roupas limpas e alimentação. Há, ainda, medidas de segurança como reforço na iluminação, ampliação do sistema de monitoramento com câmeras que permitem o reconhecimento facial e efetivo da Guarda Municipal. Além da inauguração de banheiros públicos atrás da Catedral Metropolitana, na Praça Ruy Barbosa.

Jonas comentou que o projeto vem sendo trabalhado há muito tempo. Em seu primeiro mandato, destacou, aconteceu a revitalização de parte da Avenida Francisco Glicério, classificada como a primeira etapa desse plano. "O bairro é importante. É onde vivemos. Mas, o Centro é um pedacinho do bairro de cada um", argumentou, pedindo que a população ajude a conservar as melhorias que estão sendo promovidas.

Sobre as pessoas em situação de rua no Município, 623, segundo a última contagem realizada pela Prefeitura, em 2016, Jonas explicou se tratar de um problema mundial. Para contextualizar que o cenário em Campinas não é ruim, comparou o número com o da cidade de Los Angeles, localizada ao sul da Califórnia, nos Estados Unidos. O chefe do Executivo exibiu uma reportagem recente da Folha de São Paulo, que aponta que na área central do município que abriga a indústria do cinema norte-americano, residem 4.757 moradores de rua. Ao todo, são 36,2 mil para uma população de aproximadamente 4 milhões de habitantes, ou seja, quase quatro vezes superior à de Campinas.

A segunda Casa da Cidadania será inaugurada no início de 2020. O imóvel, situado na Rua Alvarez Machado, próximo ao Mercadão Municipal, está sendo reformado. A estrutura vai atender uma reivindicação antiga de entidades e grupos que fornecem alimentação para essas pessoas, geralmente, atrás da Catedral. Agora, afirma Jonas, haverá um espaço adequado. O prefeito acredita que os voluntários irão utilizar o espaço. Porém, comenta que se a ação solidária continuar sendo realizada em local impróprio, pode utilizar da sua autoridade municipal para disciplinar a questão.

Secretaria de Assistência Social e Segurança Alimentar, Eliane Jocelaine Pereira enfatizou que "a solidariedade é muito bem-vinda, mas precisa ser organizada". "Entre 2013 e 2019, a Administração investiu quase R$ 9 milhões na implantação, ampliação e qualificação de serviços voltados ao atendimento à população em situação de rua", destacou.

Ainda neste mês, será aberta uma segunda Casa de Passagem, na Vila Teixeira, onde as pessoas podem morar por um período transitório até voltarem para suas famílias, serem inseridas no trabalho ou conquistarem a moradia própria. Serão 25 vagas e o local funcionará 24 horas. A primeira unidade foi inaugurada em 2013, no Guanabara, também com 25 vagas. Outro serviço será o Bagageiro, local no qual esses cidadãos poderão guardar seus pertences. O espaço ao lado da Casa da Cidadania 1, na Vila Industrial, está sendo adequado, com previsão de ser inaugurado no primeiro semestre de 2020.

INTERTÍTULO: BANHEIROS PÚBLICOS

Serão instalados três contêineres metálicos atrás da Catedral Metropolitana, na Praça Ruy Barbosa, onde ficarão os banheiros públicos feminino, masculino e um fraldário. A Serviços Técnicos Gerais (Setec) se responsabilizará por instalar os contêineres, a Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa) fará a ligação de água e de esgoto e a Secretaria de Serviços Públicos vai construir um jardim no entorno e garantirá a limpeza e manutenção do equipamento. A inauguração deve ocorrer no prazo de 30 dias. O funcionamento será das 6h às 22h. A ideia é cobrar uma taxa simbólica da população em geral, exceto pessoas em situação de rua.

INTERTÍTULO: SEGURANÇA

O Programa Centro Vivo também inclui a ampliação do sistema de monitoramento, com 21 novas câmeras inteligentes que permitem o reconhecimento facial das pessoas. Os equipamentos estão sendo instalados no calçadão da Rua 13 de Maio e Lardo do Rosário, Viaduto Cury, próximo ao Palácio da Justiça, entre outros pontos. Com a medida, o número de câmeras no Centro subirá para 70. No total, Campinas conta com mais de 500 câmeras ligadas à Central Integrada de Monitoramento de Campinas (CIMCamp). Serão contratados ainda mais 60 guardas municipais, que vão reforçar o patrulhamento na área. O concurso está em andamento.

NÚMERO

240

NOVOS PONTOS DE ILUMINAÇÃO

Com lâmpadas cinco vezes mais potentes, serão instalados por meio do Programa Campinas Iluminada nas ruas 13 de Maio, Conceição e Barão de Jaguará, entre outras

Escrito por:

Daniel de Camargo