Publicado 03 de Outubro de 2019 - 6h30

Por AFP

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, aproveitou na quarta-feira o primeiro debate exibido na TV sobre as eleições legislativas e partiu para o ataque contra seu principal rival, o conservador Andrew Scheer, a apenas três semanas da votação.

Os candidatos discutiram em francês sobre laicismo, aborto, eutanásia, descriminalização das drogas, casamento gay, mudança climático e economia, entre outros temas.

Os dois tentaram conquistar votos na crucial província de Quebec, onde são disputadas 25% das 338 cadeiras do Parlamento.

Em um debate direto com Scheer, além do líder do Novo Partido Democrata (esquerda) Jagmeet Singh e de Yves-Francois Blanchet, do "Bloc Quebecois" (independentista), Trudeau defendeu seu mandato.

Scheer, menos cômodo falando em francês do que em inglês, precisava mostrar aos canadenses que está preparado para ser primeiro-ministro, mas evitou as perguntas sobre suas opiniões pessoas a respeito do aborto e foi criticado por esperar que outros países atuem na vanguarda das ações climáticas, ao mesmo tempo que prometeu reverter um imposto liberal sobre o carbono.

"Os conservadores estão lutando com o fato de que seus valores não se alinham ao progressismo dos canadenses", disparou Trudeau.

Mas o primeiro-ministro, líder do Partido Liberal, enfrentou críticas de Singh por ter nacionalizado o oleoduto Trans Mountain, que conecta Alberta com a costa oeste do Canadá e é alvo de críticas dos ecologistas.

Também foi atacado por Scheer, que mencionou as faltas éticas de Trudeau, incluindo sua interferência no julgamento do grupo de engenharia SNC-Lavalin.

Scheer já anunciou que, se for eleito, iniciará uma investigação judicial sobre a disputa de Trudeau com seu procurador-geral para arquivar o caso contra a empresa, com o objetivo de salvar até 9.000 empregos.

O escândalo, revelado no início do ano, abalou a imagem de menino de ouro de Trudeau, ao mesmo tempo que deixou os liberais estagnados nas pesquisas para as eleições de 21 de outubro.

O chefe de Goveno também enfrentou uma polêmica no mês passado com a divulgação de fotos e de um vídeo que o mostravam, ainda jovem, com o rosto pintado de negro (ato conhecido como "blackface") em várias festas privadas entre 1990 e 2001. Mas o tema não foi mencionado no debate.

Scheer tenta convencer os canadenses em uma campanha na qual precisa se defender dos ataques por sua oposição ao casamento gay em um discurso de 2005.

Em uma eleição que deve ser muito disputada, o debate era considerado muito importante, especialmente para o eleitorado francófono.

Outros dois debates estão programados: 7 de outubro (em inglês) e dia 10 (em francês).

Trudeau se destacou nos debates de 2015 e conseguiu uma grande vitória para os liberais, mas agora é alvo de muitas críticas dos adversários a sua gestão.

Os liberais têm grande maioria atualmente em Quebec, mas o "Bloc Quebecois", que promove a independência desta província do Canadá e que muitos consideravam enterrado depois de conquistar apenas 10 cadeiras em 2015, registra um rápido avanço nas pesquisas.

Escrito por:

AFP