Publicado 01 de Outubro de 2019 - 19h30

Por AFP

O sarcófago do sacerdote Nedjemankh, roubado no Egito em 2011, o ano do levantamento contra o presidente Hosni Mubarak, voltou ao Cairo, onde foi apresentado nesta terça-feira.

O imponente sarcófago dourado fabricado para Nedjemankh, o sacerdote do deus com cabeça de carneiro Heryshef, foi comprado em 2017 por um dos museus mais prestigiosos do mundo, o Met de Nova York, mas uma investigação estabeleceu que havia sido roubado no Egito em 2011.

O objeto, fabricado entre os anos 150 e 50 antes da era cristã, foi apresentado em uma urna transparente no museu nacional da civilização egípcia, no Cairo.

"Estou contente por recuperarmos essa peça", disse à imprensa o secretário-geral do Conselho Supremo Egípcio de Antiguidades, Mostafa Waziri, e explicou que serão realizados trabalhos de restauração e conservação.

O encarregado de negócios americano no Cairo, Thomas Goldberger, que participou da cerimônia, disse estar "muito contente" com o retorno do objeto ao Egito e com a cooperação com as autoridades do país.

Depois de transitar por Dubai, Alemanha e Paris, o sarcófago de quase 1,80 metro foi vendido ao Met por 3,5 milhões de euros (cerca de 4 milhões de dólares) por um negociante de arte francês cuja identidade não foi revelada.

Uma investigação conjunta das autoridades de Estados Unidos, Alemanha e França estabeleceu que o objeto foi roubado no Egito em 2011, o que em fevereiro de 2019 levou o Met a encerrar antes do previsto uma exposição onde estava exposto.

bur-emp/eh/tp/pc/mb/db/cc

Escrito por:

AFP