Publicado 01 de Outubro de 2019 - 16h01

Por AFP

A ex-policial Amber Guyger, do Texas, foi declarada culpada de homicídio, nesta terça-feira (1º), por atirar em um vizinho, em seu próprio apartamento no ano passado, um episódio que seu advogado classificou como "erro trágico".

O caso provocou indignação e gerou polêmica sobre violência policial e preconceito racial, já que Amber é branca, e sua vítima, Botham Jean, de 26 anos, era negra.

Depois do episódio, ocorrido em 6 de setembro de 2018, Amber Guyger alegou ter-se confundido, acreditando que tinha voltado para sua casa e que Jean fosse um intruso.

Na verdade, ela tinha entrado no apartamento de Jean, que estava destrancado e fica um andar acima do seu.

"Ela sabe que cometeu um erro trágico, mas não foi com maldade", disse no tribunal o advogado da ré, Robert Rogers, no início do julgamento nesta segunda-feira.

Robert descreveu o episódio como um "erro humano" e um ato em "legítima defesa".

O procurador Jason Hermus respondeu que Jean, originário da ilha caribenha de Santa Lúcia e que trabalhava para uma empresa de contabilidade, "pagou o preço final" por seus erros.

Amber Guyger, de 31, trabalhou como policial em Dallas por quatro anos até ser demitida por causa do assassinato. Agora, pode enfrentar prisão perpétua.

cyj-ft/dw/mps/ll/tt

Escrito por:

AFP