Publicado 01 de Outubro de 2019 - 6h15

Por AFP

Setenta anos depois da fundação da República Popular da China, o país exibe uma cara muito diferente de quando o Partido Comunista chegou ao poder.

A seguir algumas das mudanças fundamentais experimentadas pelo país - e seus cidadãos - desde que a República Popular da China foi fundada, no dia 1 de outubro de 1949:

Há 70 anos a grande maioria dos chineses viviam nas áreas ruais e somente 10% da população residia nas cidades.

Em 2019, a China é um país de grandes cidades e tem pelo menos seis megalópoles (com população de 10 milhões de habitantes ou mais). Aproximadamente 60% da população vive nas cidades e mais de 100 cidades chinesas têm uma população superior a um milhão de pessoas.

Pequim, a capital, triplicou de tamanho nos últimos 50 anos, segundo a ONU.

Um frenesi de construções transformou a paisagem do país em três décadas: cinco dos prédios mais altos do mundo estão agora em território chinês e aproximadamente a metade do cimento utilizado a cada ano em todo o mundo é feito na China.

Nos últimos 70 anos o país ficou marcado pelos dois líderes mais conhecidos: o fundador Mao Zedong e o atual líder Xi Jinping.

Mao teve um governo caótico, com milhões de pessoas vítimas da fome durante sua campanha de desenvolvimento Grande Salto Adiante e a Revolução Cultural, antes de morrer em 1976.

Xi, de 66 anos, reforçou seu próprio controle de poder sobre a mídia estatal, construindo ao seu redor um culto à personalidade e ao parlamento como uma instituição decorativa, mudança a constituição para poder governar indefinidamente.

A União Soviética e a República Democrática Alemã foram dois dos poucos países que reconheceram a República Popular da China em 1949.

Mas apesar de um começo lento - e um período em que o país foi fechado para o mundo exterior - a China de 2019 é uma potência mundial de primeira magnitude e a segunda maior economia do mundo.

Escrito por:

AFP