Publicado 30 de Setembro de 2019 - 16h30

Por Adagoberto F. Baptista

Alenita Ramirez

[email protected]

Foto: Matheus

Campinas conseguiu um financiamento de US$ 1 milhão junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para investimento no projeto Zona Livre de Conhecimento, desenvolvido pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). O empréstimo é a fundo perdido e sua liberação foi anunciada na manhã de ontem, pelo prefeito Jonas Donizete, durante evento com empresários, reitores de universidades, entidades, trabalhadores, no salão de eventos do Royal Palm Hall, no qual tinha como por proposta falar sobre a importância do prêmio “Campinas: a cidade mais inteligente e conectada do Brasil”. De acordo com Jonas, a verba será usada para a implantação do Hub Internacional de Desenvolvimento Sustentável (Hids). “Estamos fazendo o Plano Diretor para aquela região, pois Campinas precisa valorizá-la”, disse o prefeito se referindo ao Distrito de Barão Geraldo e também ao fato de que a cidade como um todo, precisa continuar investindo para se manter como a mais inteligente e conectada.

A criação da zona livre do conhecimento começou a ser discutida em fevereiro do ano passado entre o prefeito e os reitores da Unicamp, Marcelo Knobel. E da PUC-Campinas, Rigacci Júnior. O hub reunirá universidades, centros de pesquisa, empresas, a prefeitura e outros organismos públicos para desenvolver projetos voltados ao desenvolvimento sustentável. De acordo com Jonas Donizette, o projeto é inovador, ousado e inédito no país e servirá de referência para o estado e o Brasil. A primeira reunião para formação do novo conselho consultivo que vai elaborar o Hids está prevista para acontecer no próximo dia 8 de outubro.

A proposta é instalar esta zona livre de conhecimento e tecnologia na antiga fazenda Argentina, no distrito de Barão Geraldo, uma área próxima à Unicamp e a PUC, para onde está sendo transferida a sede da agência de inovação, a Inova. A verba será usada na formulação do projeto, chamado Master Plan.

De acordo com Jonas, já foi disponibilizado legislação e normas tributárias que contribuirão para a criação do hub internacional, uma vez que favorecem a instalação de empresas de alta tecnologia na cidade.

Ranking

O evento foi organizado pela Prefeitura de Campinas, para que o prefeito Jonas Donizette, apresentasse o prêmio Cidade Mais Inteligente e Conectada do Brasil. Esta foi a primeira vez que o prêmio é conquistado por uma cidade do interior do país.

Campinas saiu da 21ª posição no ano do lançamento do ranking, em 2015, para o topo em 2019. O ranking da Urban System foi divulgado no dia, 17 de setembro, e levou em consideração 70 indicadores de 11 setores. Ela disputou o posto com ao menos 700 cidades brasileiras.

Campinas se destacou entre os principais indicadores como economia, tecnologia e inovação, empreendedorismo, governança e mobilidade urbana.

Para que Campinas se mantenha no topo do ranking, Jonas Donizette, citou a instalação de Câmeras de Segurança com reconhecimento facial, o programa Campinas Digital, a rede de fibra ótica nos prédios públicos, o parque tecnológico, parcerias com conselhos entre outras inovações. “Eu chego nesse prêmio, dizendo: ‘É muito importante que Campinas se aproprie a isso, tão difícil como conseguir é manter’. Eu fui de uma época que Curitiba e Campinas dominava os assuntos no Brasil em termos de políticas públicas. Campinas foi ficando para trás, mas depois as duas sofreram por um período também e agora a gente se restabelece esse cenário”, disse o prefeito.

BOX

Durante o evento, o prefeito Jonas Donizette citou a necessidade de reajustes nas leis municipais relacionadas a implantação de tecnologias e infraestrutura digital, uma vez que Campinas, segundo ele, tem todos os requisitos para atrair investimentos do setor. Uma das mudanças citadas pelo chefe do Executivo municipal é a elaboração de uma nova lei de transmissão de dados, cujo projeto está sendo elaborado pelo vereador Paulo Haddad. “Temos uma lei feita há quatro anos que é boa, mas a velocidade do aperfeiçoamento da tecnologia muda muito. Temos que pensar no futuro, em uma estrutura para a cidade receber esse avanço. Antes tínhamos antenas gigantescas. Hoje elas são tão pequenas que não dá nem parra percebê-las”, disse Jonas Donizette.

De acordo com o prefeito, Campinas precisa partir para a tecnologia 5G, haja vista a quantidades de pequenos estabelecimentos e vendedores independentes, espalhados por todas as regiões, que usam máquinas de cartões bancários para transições comerciais. “Mudando a lei, Campinas terá novas companhias trazendo tecnologias avançadas e isso atrai mais investimentos para a cidade”, destacou. “Espero que a Câmara continue me ajudando e aprova esse projeto”, salientou Jonas Donizette. (AR/ANN)

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista