Publicado 30 de Setembro de 2019 - 5h30

Músico autodidata, pesquisador da sanfona há pelo menos 20 anos, o músico baiano radicado em Campinas Edu Guimarães se cercou de amigos e parceiros de caminhada para produzir o álbum Memórias do Brasil pela Sanfona, o primeiro que traz sua assinatura na direção artística e criação como um todo, das pesquisas iniciais à escolha do repertório. O show de lançamento será hoje, no Teatro Municipal José de Castro Mendes. Além de Edu Guimarães na sanfona, participaram da gravação, Levi Ramiro na viola, Pedro Romão na percussão e Ramon Del Pino no contrabaixo, além de Eduardo Pereira no bandolim, João Casimiro na bateria e Gustavo de Medeiros na guitarra. O show de lançamento traz ainda as participações especiais da cantora Anabela Leandro e do pianista Marcelo Onofri.

O álbum é composto quase que integralmente por composições de Guimarães. “Tem apenas uma do Déo Rian e duas de Levi Ramiro. Mas não é um álbum solo, tenho a companhia de vários artistas no disco e no show”, diz Edu Guimarães, contando que está na pesquisa para este trabalho há cerca de três anos. “O processo incluiu as etapas de criação, levantamento de questões importantes sobre a história da música brasileira, a chegada da sanfona no Brasil e suas influências nos vários territórios do País”, explica o músico.

O trabalho marca a trajetória do músico baiano que vive em Campinas há 15 anos e que se destaca por sua habilidade com a sanfona e principalmente pela sua relação visceral e apaixonada com a música, que faz dele um artista requisitado em diversos gêneros. “Este primeiro CD nasce do desejo de compartilhar minha experiência musical e falar da história deste que é um dos instrumentos mais fortes e simbólicos da nossa memória afetiva musical: a sanfona, como é conhecida no Norte e Nordeste, o acordeon, no Sudeste, ou gaita, no Centro-Oeste e Sul”, aponta.

O repertório passa pelo maxixe, lundu, boi, choro, chamamé, entre outros gêneros brasileiros.

“Toda a equipe do disco é composta por pessoas muitos especiais para mim, que estão presentes na minha história há muito tempo e que ajudaram a criar este trabalho”, diz Guimarães. Segundo ele, isso vai desde a produção da Cais das Artes, passando pelo Mário Porto que gravou o disco, as ilustrações exclusivas de Diana Lanças no encarte, a iluminação de Alice Possani e assim por diante. “No disco, os três músicos principais que me acompanham são Levi Ramiro, Pedro Romão e Ramon Del Pino, que, além de grandes artistas, são amigos e parceiros de longa data. Tem ainda os convidados especiais, também parceiros de trabalho: João Casimiro, Gustavo de Medeiros e Eduardo Pereira. Destaco ainda a amizade e parceria das antigas com Anabela Leandro e Marcelo Onofri, que é um mestre pra mim”, completa Guimarães.

As ilustrações de Diana também compõem o visual do show por meio de projeções das imagens. O projeto foi premiado pelo Programa de Ação Cultural (ProAC) do governo do Estado e conta com a parceria da Secretaria Municipal de Cultura para realização desta apresentação.

Sobre a sanfona

“Por onde passa uma sanfona, sempre passa uma história, uma memória”, afirma Edu Guimarães. É inegável a rápida associação que muitas pessoas fazem com fatos de suas vidas. O fato é que o instrumento tem uma importante trajetória e influência em diversos gêneros musicais brasileiros. Grandes nomes como Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Orlando Silveira, Sivuca, entre outros, são responsáveis por boa parte da história da música no país. “É esta história do Brasil através da sanfona, sua chegada, sua agregação à nossa cultura, suas trajetórias até os dias de hoje que busco contar.”