Publicado 30 de Setembro de 2019 - 20h00

Por AFP

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse nesta segunda-feira que as sanções impostas pela União Europeia (UE) após a morte de um militar preso o fazem "rir", enquanto acusa o bloco de se subordinar ao presidente dos EUA, Donald Trump.

"Eu não me importo com as sanções da União Europeia. Estamos rindo das sanções da União Europeia, porque elas a colocam em um beco sem saída e a afundam na lama de uma política fracassada (...) de Donald Trump contra a Venezuela", disse Maduro durante uma coletiva de imprensa em Caracas.

Na sexta-feira, a UE aplicou sanções a sete membros das forças de segurança venezuelanas por "tortura" e pela morte do oficial Rafael Acosta em 29 de junho, depois de sofrer supostos maus-tratos na prisão da Direção Geral de Contrainteligência Militar.

Com isso, são 25 funcionários do governo venezuelano são alvos de sanções com medidas que incluem a proibição de viajar para países da UE e o congelamento de contas. Em 2017, a Venezuela se tornou o primeiro país latino-americano punido pela UE com um embargo de armas.

mbj/axm/ll/cc/ll

Escrito por:

AFP