Publicado 29 de Setembro de 2019 - 12h15

Por AFP

Os partidos do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e de seu rival Benny Gantz trocaram acusações neste domingo (29) de bloqueio das negociações para formar um governo de coalizão entre as duas formações mais votadas em Israel.

Os resultados das eleições gerais de 17 de setembro, nas quais o Likud de Netanyahu e a coalizão de centro-direita Azul-Branco de Gantz estavam quase empatados, não resolveram a difícil governança do país, que repetiu as eleições após uma votação faracassada em abril.

O Likud e seus aliados judeus conservadores e ortodoxos somam 55 deputados do total de 120 do Parlamento de Israel, enquanto Azul-Blanco tem um total de 54, somando os de partidos de esquerda e representantes árabes.

Os líderes dos partidos Netanyahu e Gantz não conseguiram avançar neste domingo nas negociações para formar um governo de coalizão, dificultado pela continuidade de Netanyahu como primeiro-ministro.

O Likud acusou o rival de "fechar a porta" a um governo de coalizão "para levar o país a novas eleições" e disse que Netanyahu fará "um último esforço" para formar um governo de coalizão.

Se não obtiver o apoio dos 61 deputados necessários para a maioria absoluta, Netanyahu deve renunciar ao "mandato" de formar um governo, e então o presidente de Israel, Reuven Rivlin, poderá confiar essa tarefa a Gantz.

gl-mib/feb/eb/age/lca

Escrito por:

AFP