Publicado 23 de Maio de 2019 - 9h40

Por AFP

Fois alpinistas, uma americano e uma indiana, morreram no Everest, anunciaram nesta quinta-feira suas expedições, no período de grande fluxo de montanhistas que tentam escalar a maior montanha do planeta.O americano Donald Lynn Cash, 55 anos, desmaiou na quarta-feira no topo do Everest, a 8.848 metros de altura, quando estava fazendo fotos."Nossos dois sherpas o ajudaram a recuperar a consciência, mas ele faleceu quando o transportavam de volta", afirmou à AFP Pasang Tenje Sherpa, da expedição Pioneer Adventure.A indiana Anjali Kulkarni, també mde 55 anos, faleceu durante a descida, depois de alcançar o topo.O organizador da expedição de Kulkrani, Arun Trek, atribuiu o acidente ao fluxo excessivo de montanhistas e afirmou que isto atrasou a descida da alpinista.Quatro pessoas morreram na atual temporada, após o falecimento na semana passada de um alpinista indiano e da provável morte de um irlandês que caiu perto do topo da montanha e não teve o corpo localizado.No ano passado aconteceram cinco mortes durante escaladas ao Everest.A cada ano centenas de alpinistas do mundo inteiro viajam ao Nepal entre abril e maio, a temporada mais favorável, para escalar o Everest. A ascensão é extremamente perigosa e provoca vítimas com frequência.Na quarta-feira, quase 200 pessoas tentavam chegar ao topo do Everest, em um dia de boas condições meteorológicas."Não sabemos o número de pessoas que conseguiram chegar ao topo, mas foi um dia de muito movimento. As expedições reclamam que é preciso esperar duas horas ou mais para chegar ao topo", disse Gyanendra Shrestha, funcionário do governo que estava no campo base.O Everest foi escalado pela primeira vez em 1953 pelo neozelandês Edmund Hillary e o nepalês Tenzing Norgay.pm/mtp/me/al/fp

Escrito por:

AFP