Publicado 17 de Maio de 2019 - 23h10

Por AFP

Um ex-agente da CIA foi sentenciado a 20 anos de prisão nesta sexta-feira por espionar para a China, num caso que foi classificado como parte de uma "tendência alarmante" na comunidade de inteligência dos Estados Unidos. Kevin Mallory, de 62 anos, foi declarado culpado segundo a Lei de Espionagem por vender "informação de defesa" classificada dos Estados Unidos a um agente de inteligência chinês por 25 mil dólares durante viagens a Xangai, em março e abril de 2017."Teu objetivo é obter informação e meu objetivo é receber dinheiro", disse a um agente chinês numa mensagem de 5 de maio de 2017. Mallory, que fala mandarim fluentemente, serviu no exército dos Estados Unidos como agente especial para o serviço de segurança do Departamento de Estado, antes de se converter em oficial da Agência Central de Inteligência (CIA).Ele é um dos vários funcionários com acesso a informação confidencial presos e acusados negociações não autorizadas com a inteligência chinesa. No caso mais significativo, em 1º de maio, o ex-agente da CIA Jerry Chun Shing Lee se declarou culpado por espionar para China.Lee, de 54 anos, enfrenta uma possível prisão perpétua. Foi detido em janeiro de 2018 por ser suspeito de ter passado a Pequim a informação necessária para derrubar uma rede de informantes da CIA na China, entre 2010 e 2012.pmh/acb/mps/gv/lca

Escrito por:

AFP