Publicado 23 de Maio de 2019 - 11h15

Por Francisco Lima Neto

Plantio de arvore no Instituto Federal, no Satélite Íris

Denny Cesare/AAN

Plantio de arvore no Instituto Federal, no Satélite Íris

Antes prometido apenas para o primeiro semestre de 2020, o início das atividades do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) no campus Campo Grande, deve ocorrer já em julho deste ano. O adiantamento do prazo se deve a um aporte de R$ 750 mil feito pela reitoria do instituto.

O diretor-geral do Campus Campinas, Eberval Oliveira Castro, se reuniu com o reitor Eduardo Antonio Modena em São Paulo, na última sexta-feira, para tratar desse assunto. “Apresentamos a situação orçamentária e as dificuldades. O contingenciamento feito pelo Ministério da Educação (MEC) implicou no encerramento de contratos para manter bolsas, merenda dos alunos, e condições mínimas para continuar as atividades. Tudo isso estava impedindo as atividades no Campo Grande”, explica Eberval.

O diretor expõe que existe apenas um orçamento para o instituto em Campinas, tanto para as atividades que funcionam dentro do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI), desde 2013, na região dos Amarais, quanto para o novo campus no Campo Grande.

“Para o novo campus estão faltando contratos de vigilância, limpeza, jardinagem, telefonia, esse tipo de coisa. Além da mobília. Levamos isso para ele (reitor), somamos tudo e chegamos no valor de R$ 750 mil, e a reitoria de sinal positivo”, conta.

Segundo Castro, parte da mobília foi comprada no ano passado, mas ainda falta muita coisa. Dentro desses R$ 750 mil, R$ 460 mil serão para compra de mobília e R$ 290 mil para o custeio até o final do ano.

Para o início das atividades ainda neste ano serão montados duas salas de aula, três laboratórios, uma biblioteca e um refeitório, além da contratação de serviços de limpeza, vigilância, manutenção, pagamento de contas de água, energia, telefonia, etc.

Nesse primeiro momento serão recebidos na nova sede os alunos dos cursos Técnicos em Informática e em Eletroeletrônica, ambos na modalidade concomitante e subsequente ao Ensino Médio, e também os discentes da pós-graduação em Educação para Inserção Social, totalizando 110 estudantes, o que representa apenas 8,7% dos 1.264 alunos do instituto.

De acordo com a assessoria de imprensa do IFSP, o custo mensal das atividades dentro do CTI é de R$ 55 mil mensais. No novo campus o valor deve ser de R$ 100 mil mensais.

O valor de R$ 290 mil para custeio das atividades no novo campus no segundo semestre se deve ao pequeno número de alunos que vai ocupar o espaço inicialmente.

A mudança definitiva de todos os cursos deve ocorrer em 2020. A ocupação gradual do campus se dará devido à necessidade de investimentos que permitam o desenvolvimento das atividades educacionais. No fim de abril, o MEC anunciou o contingenciamento de 30% do orçamento dos Institutos Federais, forçando o IFSP a buscar alternativas para viabilizar o início das atividades em Campo Grande.

Conforme os recursos forem sendo disponibilizados pelo MEC, a ocupação do campus vai aumentando, segundo o diretor.

Estrutura

A entrega definitiva do prédio foi realizada no dia 2 de maio. A obra contou com o investimento de R$ 16 milhões. São 7 mil m² de área total com capacidade para atender 1.300 alunos. A nova sede fica na Avenida Heitor Lacerda Guedes, nº 1.000, no bairro Cidade Satélite Íris, região do Campo Grande.

Escrito por:

Francisco Lima Neto