Publicado 18 de Abril de 2019 - 18h42

Por Adagoberto F. Baptista

Francisco Lima Neto

Da Agência Anhanguera

[email protected]

Notre Dame e Saúde fazem reunião para alertar sobre toxoplasmose

O Colégio Notre Dame realizou ontem de manhã uma reunião entre a sua diretoria e a equipe técnica do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) da Prefeitura de Campinas para esclarecimentos sobre a toxoplasmose. A reunião aconteceu às 9h, no auditório do colégio, por conta dos cinco casos da doença registrados no local.

Além da direção pedagógica e do sócio do colégio, estiveram presentes um médico infectologista, um veterinário, uma enfermeira, um biólogo, uma enfermeira coordenadora e um técnico em vigilância.

A Secretaria de Saúde informou que os profissionais esclareceram o que é a doença e as formas de transmissão e prevenção.

"O Devisa está realizando uma investigação epidemiológica sobre os casos que, por hora, têm a escola como vínculo em comum", informou a assessoria de imprensa da Pasta.

Após o Devisa ser notificado sobre possível surto de toxoplasmose, no último dia 11 de abril, a direção da escola foi orientada sobre as ações preconizadas de vigilância em saúde para prevenção e controle da situação, buscando a identificação das possíveis fontes de contaminação.

"Até o momento, há 5 casos confirmados, uma vez que a investigação epidemiológica está no início, sendo quatro em adolescentes entre 12 anos e 13 anos e um em adulto funcionário do estabelecimento", explicou.

O colégio explicou que está tomando várias medidas. Entre elas, obtenção junto às famílias dos casos confirmados de Relatórios Individualizados Circunstanciados para investigação de formas e locais de contato, e adoção de medidas apropriadas de controle e prevenção; contato com ONG’s de proteção animal para que seja feita a retirada dos gatos que circulam pelo colégio, como também o tratamento e doação dos animais; investigação das vias de transmissão do protozoário - alimentos e água -, por meio de testes químicos; reforço nos procedimentos de segurança alimentar nas cozinhas e salões de refeições do colégio; Criação e divulgação de campanha de reforço de boas práticas de higiene.

As principais formas de transmissão da toxoplasmose são a ingestão de água ou alimentos contaminados (frutas e verduras mal lavadas, carnes e derivados crus ou mal cozidos), congênita: transmitida de mãe para filho durante gestação. O contato com gatos não causa a doença! O perigo está no contato com as fezes contaminadas do animal.

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista