Publicado 18 de Abril de 2019 - 5h30

A Toyota vai começar a produzir, na fábrica em Indaiatuba, o primeiro carro do mundo com motor híbrido flex — motor elétrico combinado com bicombustível, que aceita etanol ou gasolina. A previsão é que o carro, modelo sedan Corolla, chegue ao mercado em outubro. Para a produção, a montadora japonesa anunciou, no final do ano passado, investimento de R$ 1,6 bilhão na fábrica de Indaiatuba e a geração de 900 empregos diretos.

O prefeito de Indaiatuba, Nilson Gaspar, afirmou que a produção do carro terá reflexos não somente na arrecadação, mas também na evolução da moderna tecnologia utilizada para garantir sustentabilidade e uma relação mais equilibrada com o meio ambiente. “Possuímos uma legislação municipal que incentiva com desconto no IPVA, relativo à parte que compete ao Município, para utilização de veículos impulsionados por energia elétrica ou hidrogênio e atualmente 180 veículos com placa de Indaiatuba já possuem a isenção”, afirmou.

A direção da Toyota confirmou ontem ao governo do Estado de São Paulo a fabricação do modelo, mas não adiantou o preço do novo carro. O Brasil já tem modelos híbridos elétricos que aceitam gasolina. Um deles, o Prius, é da montadora. O novo Corolla terá a mesma mecânica que hoje equipa o Prius, que foi adaptada por engenheiros brasileiros e japoneses para consumir tanto gasolina quanto etanol no motor a combustão.

A montadora informou que a nova geração do sedã chegará para os mercados latino-americanos onde o veículo é exportado — Argentina, Paraguai, Uruguai, Chile, Peru e Colômbia — a partir do primeiro semestre de 2020. O novo modelo, segundo a Toyota, será montado sobre a plataforma TNGA (Toyota New Global Architecture, ou Nova Arquitetura Global da Toyota, em tradução para o português), que já equipa veículos da marca como o Prius, o SUV compacto C-HR e o sedã grande Camry.

Menos CO2

Estudos realizados pela Toyota do Brasil apontam que o híbrido flex, quando abastecido com etanol, possui um dos mais altos potenciais de abatimento da emissão de CO2. De acordo com a empresa, isso ocorre ao longo do ciclo de vida do etanol, desde que o biocombustível é extraído da cana-de-açúcar, passando pela disponibilidade nas bombas de abastecimento e sua queima no processo de combustão do motor.

Quando abastecidos apenas com etanol (E100), os resultados de abatimento do CO2 estão entre os melhores do mundo.

“Nos últimos 50 anos, o Corolla foi sinônimo de confiabilidade, segurança e qualidade. Com essa nova geração, queremos que ele seja reconhecido também como símbolo de modernidade e, acima de tudo, como uma nova forma de mobilidade. Somos entusiastas de motores eletrificados e precursores da disseminação em massa dessa tecnologia. Agora, estamos mais uma vez fazendo história, trazendo a propulsão híbrida flex para um dos maiores ícones da indústria automotiva”, afirmou Rafael Chang, presidente da Toyota do Brasil.

Em março de 2018, a Toyota anunciou os testes de rodagem com um protótipo híbrido flex no Brasil construído sobre a plataforma de um modelo Prius. A ideia foi colocar à prova a durabilidade do carro em diversos tipos de estradas para avaliar o conjunto motor-transmissão quando abastecido com etanol. Durante esses meses, segundo a empresa, uma série de dados relacionados à performance e comportamento do carro foi coletada de modo a contribuir na busca pelo balanço ideal de todo o conjunto.

Rodovias devem receber 2 milhões de veículos

As rodovias que cortam a região de Campinas devem receber cerca de 2 milhões de veículos durante o feriado. O sistema Anhanguera-Bandeirantes será o mais movimentado. A previsão da AutoBAn é de que pelo menos 690 mil veículos circulem pelas estradas que dão acesso à Capital ou Interior. As duas rodovias devem registrar maior movimento entre 15h e 20h de hoje; das 9h às 14h de amanhã; e das 12h às 21h do domingo.

Já no Corredor D. Pedro, a Rota das Bandeiras prevê a passagem de 594 mil veículos pelo sistema durante os quatro dias do feriado. Ao todo, são esperados somente na Rodovia D. Pedro I (SP-065), principal via que liga a região com o Litoral Norte paulista, cerca de 416 mil veículos.

Também na região de Campinas, ao menos 84 mil veículos devem circular na rodovia Professor Zeferino Vaz. O horário de fluxo mais intenso ocorre hoje, a partir das 16h. No domingo, o movimento de retorno do feriado será maior à tarde, a partir das 14h.

As rodovias administradas pela concessionária AB Colinas, por sua vez, devem receber cerca de 549 mil veículos no feriado da Páscoa. Só na Santos Dumont (SP-075) são aguardados 170 mil veículos. O motorista que não deseja pegar tráfego intenso deve evitar pegar a estrada entre 6h e 12h de amanhã. Outros 95 mil veículos ainda devem trafegar pela Rodovia Governador Doutor Adhemar Pereira de Barros, que passa por Campinas, Jaguariúna, Mogi Mirim e o Sul de Minas Gerais.

Terminais

O Terminal Rodoviário de Campinas e o Aeroporto Internacional de Viracopos esperam receber 248 mil passageiros durante o feriado. O período de maior movimentação nos locais deve ocorrer amanhã. Na rodoviária, a expectativa é de 108 mil passageiros, entre embarque e desembarque, hoje e amanhã. Em Viracopos, a expectativa é que até a próxima segunda-feira cerca de 140 mil passageiros passem pelo aeroporto. Estão previstos ainda 1.190 pousos e decolagens. (Henrique Hein/Da Agência Anhanguera)