Publicado 18 de Abril de 2019 - 17h50

Por AFP

Um "clima extremamente preocupante" pesa sobre a liberdade de imprensa no Brasil sob a presidência de Jair Bolsonaro, declarou nesta quinta-feira à AFP Emmanuel Colombié, diretor da organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) para a América Latina."Observamos desde 2018 por ocasião da campanha eleitoral um discurso agressivo em relação aos jornalistas da parte de (o presidente Jair) Bolsonaro", explicou, por ocasião da apresentação do relatório anual da RSF no Rio de Janeiro."As preocupações que tínhamos em 2018 se confirmaram em 2019, porque o país está extremamente polarizado, dividido. As posições públicas de Bolsonaro e do seu governo contra os jornalistas são extremamente graves", ressaltou.A campanha eleitoral de 2018 se deu em um clima deletério, com uma difusão em massa de informações falsas nas redes sociais e ataques reiterados contra jornalistas, uma situação que continuou após a posse do presidente em janeiro."Uma desconfiança generalizada foi destilada no mais alto nível do Estado e os simpatizantes do governo não têm mais medo - principalmente nas redes sociais - de atacar os jornalistas, insultá-los, difamá-los, ameaçá-los de morte, ou até mesmo organizar ações violentas, incluindo em manifestações", afirmou Emmanuel Colombié."Alguns dizem: 'vocês são jornalistas, então são contra Bolsonaro, então vou atirar pedras em vocês'. O clima é extremamente preocupante", lamentou.Muito ativo nas redes sociais, Bolsonaro muitas vezes prefere fazer anúncios no Twitter para evitar o contato direto com os jornalistas."O governo e o presidente Bolsonaro tendem a boicotar a imprensa, o que aumenta ainda mais o clima de desconfiança. Seus partidários são extremamente organizados nas redes sociais. Vemos campanhas maciças de linchamento digital", explicou o diretor da RSF."Através do Twitter, ele tenta desacreditar as críticas contra seu governo. E ele faz isso com uma liberdade total, com, na maioria das vezes, insultos, ataques, que depois se transformam em ameaças da parte de outras pessoas", conclui.Na quinta-feira, Bolsonaro tentou valorizar a importância da imprensa durante uma cerimônia militar em São Paulo."Prezados integrantes da mídia, em que pese alguns percalços entre nós, nós precisamos de vocês para que a chama da democracia não se apague. Precisamos de vocês cada vez mais. Palavras, letras e imagens que estejam perfeitamente emanadas com a verdade", declarou o chefe de Estado.lg/pt/alm/mr

Escrito por:

AFP