Publicado 18 de Abril de 2019 - 15h40

Por AFP

Um grupo anarquista grego reivindicou nesta quinta-feira a explosão de uma granada em março em frente ao consulado da Rússia em Atenas, acusando Moscou de ter torturado anarquistas presos.Em um comunicado publicado no site antissistema Indymedia, a organização FAI/IRF Complô de Vingança dedicou o ataque a Mikhaïl Zhlobitsky, um anarquista de 17 anos morto em outubro em Arkhanguelsk, no norte da Rússia, em um atentado suicida em frente ao escritório regional do serviço federal de inteligência interna FSB.A explosão da granada em Atenas, na madrugada de 22 de março, não causou feridos, mas o consulado russo precisou ser fechado.O grupo FAI/IRF está ligado ao anarquista grego Conspiração das Células de Fogo. Muitos de seus membros cumprem longas penas de prisão por atentados. Os grupos anarquistas gregos atacam com frequência as representações diplomáticas na Grécia.str-jph/mr/tmo/mr

Escrito por:

AFP