Publicado 27 de Março de 2019 - 19h05

Em se tratando do Tá no Ar, impossível esperar alguma coisa diferente.

Para marcar a “morte” do programa, no dia 9 de abril, foi montado um “cortejo de despedida”, preparado especialmente para a ocasião.

Um trabalho sepulcral às avessas, com o luto e a tristeza dando lugar à alegria e muito improviso. O cortejo passou pelos mais diferentes setores dos Estúdios Globo, no Rio, colocando na roda todos que encontrava pelo caminho. Por aí se entenda atores das diversas novelas, funcionários dos vários departamentos e a equipe inteira do Tá no Ar, incluindo o seu elenco e roteiristas.

Tudo como parte de um evento tão marcante, a ponto de merecer destacada participação de Fátima Bernardes e uma reportagem de Pedro Bial.

O Tá no Ar chegará ao fim na Globo após seis temporadas. Deveria ter parado na quarta. O plano inicial era este, mas a boa aceitação do público acabou não permitindo.