Publicado 21 de Fevereiro de 2019 - 15h36

Por Adagoberto F. Baptista

Alenita Ramirez

[email protected]

Foto: ?????

Golpistas estão usado o termo Corpo de Bombeiros para extorquir empresários de Campinas. A farsa foi descoberta pela corporação, na semana passada, após uma vítima do ramo de sucata relatar que foi procurada por um homem que se passou por coronel e pediu R$ 6 mil. O dinheiro, segundo o falsário, seria destinado às festividades em comemoração aos 139 anos da corporação, cuja data é 10 de março.

De acordo com o major Paulo Monteiro Filho, o criminoso se identificou como coronel José Wilson Matos e alegou que fazia parte do comando-geral de São paulo, mas operacionalizava em Campinas. Durante a apresentação, o homem chegou a usar termos relacionados aos Bombeiros para impressionar e mostrar convicção para a vítima. “O golpista tem uma lábia muito boa. Os argumentos dele são tão bons que uma pessoa que não é militar, pode ser convencida que ele realmente falava a verdade”, disse o major.

Na ligação o suspeito se identifica como coronel reserva José Wilson Matos, comandante-geral dos bombeiros. Porém, essa função não existe no estado de São Paulo e tão pouco esse coronel. O golpista fez ao menos duas ligações para o empresário. Na primeira se apresentou como tenente Carlos. As conversas foram gravadas pelo empresário.

Em um dos trechos, o falsário diz: "Por ocasião do aniversário da corporação fazemos aquela solicitação, aquele apoio, aquela aproximação de vocês, dos amigos. Contando com aquele apoio, aquele tipo de ‘presente’ da empresa através da sua pessoa", falou.

Desconfiado, o empresário então resolveu pedir para que o suposto comandante consultasse a situação do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) da empresa e também citou uma lei que não existia. Em seguida o golpista pediu para que o empresário fornecesse o endereço de e-mail para que enviasse o documento.

Na conversa, o estelionatário chegou a citar que fazia parte uma associação ligada ao Corpo de Bombeiros. "O bombeiro não faz esse tipo de abordagem e não existe esse tipo de parceria. Inclusive, essa associação até existe, mas foi uma criação paralela que nada tem a ver com o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar do Estado de São Paulo", disse o major. “Nossa orientação é para que não caiam no golpe. Antes de qualquer iniciativa, doação, entrem em contanto conosco, no telefone 3739-3015 e peça informações. Não se deixe levar por qualquer conversa”, orientou Monteiro Filho.

A corporação tentou inclusive armar um flagrante para identificar o golpista, mas não teve sucesso. "Eu consegui falar com esse cidadão me passando por outra pessoa, conseguimos conversar com ele, mas por algum motivo ele percebeu", contou o major.

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista