Publicado 20 de Fevereiro de 2019 - 17h37

Por Adagoberto F. Baptista

Foto: Matheus Pereira

Henrique Hein

Da Agência Anhanguera

[email protected]

A Livraria Cultura do Shopping Iguatemi Campinas realizou ontem de manhã uma homenagem a Guilherme Amado – um ex-funcionário da loja que faleceu em dezembro do ano passado, aos 23 anos. Amado era portador da Síndrome de Down e trabalhava no setor de triagem de balcão da unidade há cinco anos. Seu jeito irreverente, descontraído e altruísta de ser rapidamente caiu nas graças dos demais funcionários, que sensibilizaram com o falecimento do amigo e decidiram promover uma ação coletiva em homenagem ao colega de profissão.

O grupo formado por cerca 30 funcionários se reuniu no começo do ano e cada colaborador se comprometeu a comprar um livro para doar para o Centro de Educação Especial Síndrome de Down (CEESD) de Campinas. Além disso, cada um deles escreveu uma mensagem para colocar junto dos livros que foram entregues ontem de manhã na sede da CEESD. “Ele faleceu por conta de uma infecção na região do estômago. A notícia pegou todos nós de surpresa e ficamos muito chateados, pois ele era muito querido”, explica o gerente da livraria, Marcus Vinicius Migliaccio.

A vendedora Taís Tonetto, de 28 anos, foi a primeira funcionária da loja que ficou sabendo da morte de Amado depois de receber uma ligação de telefone da família do amigo. “Eu estava na loja quando recebi a notícia. Eram 21h e não havia mais tantos clientes na livraria, mas aquela informação me derrubou de uma forma que eu não sabia o que fazer. Fui um baque muito grande”, contou.

Além de receber a notícia em primeira mão, Taís foi a funcionária do estabelecimento que propôs a homenagem a Amado. Ela explica que cogitou a possibilidade da iniciativa entre o período das festividades de Natal e Ano Novo. “A gente sempre faz comemorações de amigo-secreto entre nós funcionários e eu sugeri que ao invés da gente comprar presentes para nós mesmos, que a gente usasse esse dinheiro para fazer uma homenagem para o Guilherme”, relatou. Para ela, Amado ensinou a todos o valor do respeito as diferenças e do amor ao próximo. “Ele alegrava todo mundo com a sua felicidade.

Para ele, ter o distribuiu nunca foi um empecilho para ser feliz. Ele era muito carinhoso, animado e nos motivava sempre que percebia que estávamos nós sentido para baixo”, salientou Taís.

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista