Publicado 19 de Fevereiro de 2019 - 12h54

Por Paulo César Dutra Santana

Paulo Santana

Da Agência Anhanguera

[email protected]

A decisão do STJD de pedir o julgamento pelos acontecimentos na partida com a Aparecidense pela da Copa do Brasil encheu a Ponte Preta de esperança de ter uma a chance de retornar à competição. Jogadores e clube engrossaram o coro de acreditar na justiça, que deve tomar uma posição a respeito do assunto já no início da próxima semana.

“Se não der causa ganha para a gente, abrirá um precedente ruim porque qualquer pessoa vai se sentir no direito de invadir o campo. Aí, todo jogo vira confusão. Independentemente se o gol foi ilegal (Hugo Cabral estava impedido), não pode haver interferência externa. O resultado deve ser revisto sim porque acabamos prejudicados”, disse o meia Tiago Real.

Este é o mesmo pensamento do lateral-direito Luis Ricardo e todo restante do elenco. “A gente entendeu que, da forma que aconteceu, não estava correto. Vimos a influência do delegado da partida que acabou nos prejudicando. Esperamos que agora tenha com final feliz”, observa.

De acordo com o advogado João Felipe Artioli, o departamento jurídico da Macaca, que é liderado pelo também advogado Giuliano Guerreiro, recebeu com tranquilidade a decisão do STJD de pedir a análise do caso. “Aguardaremos a designação do julgamento para apresentar as provas que embasam nossos fundamentos para o pedido de impugnação da partida”, revelou.

Hoje, é o último dia de prazo para que o clube goiano apresente suas considerações. Um advogado foi contratado no Rio de Janeiro para atuar na sua defesa e, por meio de nota, informou ontem que “recebeu com naturalidade a suspensão do jogo e reitera a confiança na classificação”.

Em entrevista ao portal G1, o diretor de futebol João Rodrigues, que estava entre os que invadiram o campo, garantiu não ter passado qualquer informação para o árbitro. “Fui apenas falar com o capitão do nosso time (Filipe, zagueiro) para não deixar reiniciar o jogo. Se a bola voltasse a rolar, não teríamos como argumentar mais sobre o impedimento.”

Já o delegado da partida Adalberto Grecco, que faz parte da OAB de Goiás, foi pego por imagens da TV dizendo algo ao pé-do-ouvido de um dos auxiliares.

Time

Com uma semana cheia para trabalhar até o jogo com o Ituano pelo Paulistão, domingo, às 17h, o técnico Jorginho comandou ontem um treino de posicionamento no CT do Jardim Eulina. “É essencial aproveitar este tempo. Precisamos melhorar nossa saída de bola que é fundamental, mas para isso precisamos de muito treinamento, fazer repetições e de personalidade para jogar”, comentou o comandante.

Escrito por:

Paulo César Dutra Santana