Publicado 07 de Fevereiro de 2019 - 15h23

Por Adagoberto F. Baptista

Foto: Denny

Henrique Hein

Da Agência Anhanguera

[email protected]

Comerciantes da Rua Treze de Maio estão preocupados com a quantidade de furtos que estão sendo cometidos no principal ponto de comércio da cidade de Campinas. Segundo as denúncias, a maioria dos crimes tem acontecido durante as madrugadas e gerado muita insegurança. Uma das maiores redes do departamento de vestuário do País foi furtada na semana passada e os funcionários da loja explicaram que os bandidos arrombaram uma das vidraças do estabelecimento e levaram uma quantidade significativa do estoque.

Segundo dados da Secretária de Segurança Pública (SSP) de São Paulo, a cada dois dias um assalto ou furto foi realizado na Rua Treze de Maio no ano passado – 237 pessoas foram presas e 19 armas de fogo foram apreendidas. O comerciante Ivanil Augusto da Silva possui um estabelecimento na Praça Ruy Barbosa. Ele afirmou que nos últimos dez dias pelo menos dois furtos aconteceram na rua, “Algumas lojas estão até contratando seguranças particulares desde o ano passado para evitar os furtos. Tem loja que é furtada em plena luz do dia”, alerta. “Mesmo assim, os bandidos estão espertos com isso e estão aprimorando a maneira de roubar. O alvo principal deles são sempre as grandes redes”, completou.

Vinícios Pereira Assunção, é gerente de uma loja especializada em roupas unissex que vende itens de vestuário, calçados e acessórios na Treze de Maio. Em novembro do ano passado, ele conta que teve um prejuízo grande por causa de um furto que foi realizado durante a madrugada. “Foi uma época que estava muito frio. As blusas estavam em alta e os produtos foram colocados tudo perto da porta para atrair os clientes. Pelas nossas câmeras de segurança vimos que um grupo de cerca de vinte homens arrombaram a porta, entraram e saquearam diversos itens. Tivemos um prejuízo de pelo menos R$ 30 mil”, comentou.

Segundo ele, furtos como os que aconteceram na loja onde trabalha como gerente são comuns na Rua Treze de Maio. Ele explica que os bandidos não privilegiam datas, horários – apenas escolhem o local e furtam o estabelecimento. “Pelo menos uma vez por semana ocorre um furto aqui na rua. É inacreditável a reincidência dos crimes”, afirmou. Já o atendente de uma loja de sapatos, Wendel Xavier alegou que duas lojas próximos – uma em frente e outra ao lado do estabelecimento onde trabalha – já forma furtadas nos últimos seis meses na região do Calçadão.. “A noite a situação aqui é bem complicada. Já teve vários casos de lojas que foram furtadas. Para se ter uma ideia, no final ano passado, funcionários de uma loja foram assaltados a mão armada”, relatou.

Circulação

De acordo com dados da Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC), a região central de Campinas conta com uma circulação média de 350 mil pessoas por dia. Somente nas Ruas Treze de Maio e Costa Aguiar são cerca de 100 mil em dias normais e 150 mil nas datas especiais, como Natal e Dia das Mães. “Há na região central em torno de 1550 estabelecimentos comerciais. Cerca de 124 deles estão instalados na Treze de Maio, que não é apenas uma rua por onde circulam pessoas que vão às compras. É também uma via de acesso para os principais terminais de ônibus”, explica Adriana Flosi, vice-presidente da ACIC.

Segundo ela, além de registrar o Boletim de Ocorrência o comerciante vítima de roubo ou furto, deve também entrar em contato tanto com a ACIC quanto com a Coordenadoria Estadual dos Conselhos Comunitários de Segurança (Conseg), formalizando o ocorrido o mais rápido possível para que as duas entidades possam tomar as iniciativas necessárias, junto às instituições de segurança pública. “Já houve caso de, a partir de uma denúncia, e após meses de investigação, chegarmos a um estabelecimento que servia como ponto de drogas e o mesmo acabou fechado. Então, o nosso trabalho dá resultado, mas é necessária a colaboração de todos”, ressaltou Adriana.

Respostas

Procurada pela reportagem, a Prefeitura de Campinas informou que possui o programa “Campinas Bem Segura” – uma iniciativa que conta com investimentos na área de segurança. O Governo Municipal frisou ainda que a secretaria de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública está ampliando o sistema de câmeras da Central Integrada de Monitoramento de Campinas (Cimcamp). “Cerca de 30 câmeras de alta resolução estão sendo instaladas na região central da cidade, com a possibilidade de reconhecimento facial de pessoas nos principais pontos de circulação de pessoas na região central”, informou em nota.

A SSP informou que a 1ª Cia do 8°Batalhão de Campinas vai reforçar o patrulhamento realizado na região da Rua Treze de Maio. “Os policiais atuam com viaturas quatro rodas, a pé, em motos, base móvel com pontos de estacionamento e contam também com o apoio do 1°Batalhão de Ações Especiais da Polícia (BAEP)”. Já a Guarda Municipal (GM) alegou que mantém diariamente uma série de rondas preventivas de patrulhamento a pé e motorizado na região central, mas que também vai intensificar as rondas na Rua Treze de Maio a fim de levar mais segurança aos comerciantes e a população que caminha pelo calçadão.

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista