Publicado 21 de Fevereiro de 2019 - 5h30

A sul-coreana Samsung apresentou ontem o Galaxy Fold, primeiro smartphone dobrável desenvolvido por um grande fabricante do setor, que estará disponível a partir de 26 de abril ao preço mínimo de US$ 1.980,00 (nos EUA). A tela dobrável era uma inovação muito aguardada pelo mercado, e chega doze anos depois do lançamento do iPhone, o icônico modelo da Apple.Dobrado, o novo dispositivo da Samsung é um celular de 4,6 polegadas (11,7 cm), que cabe na mão. Mas o aparelho pode ser aberto com uma tela dobrável que o transforma praticamente em um tablet de 7,3 polegadas (18,5 cm), explicou Justin Denison, um dos chefes do projeto durante a apresentação do produto em San Francisco. “Estamos oferecendo um dispositivo que não só define uma nova categoria, mas também desafia uma categoria”, disse, referindo-se ao fato de que o aparelho pode ser usado tanto como telefone inteligente quanto como tablet.A novidade chega em um período de desaceleração global nas vendas dos smartphones. O setor, que experimentou uma queda na comercialização destes dispositivos pela primeira vez em 2018, prcisa encontrar produtos que saiam do padrão atual para se recuperar.O novo modelo era aguardado com curiosidade desde que a Samsung apresentou um misterioso protótipo de tela dobrável no fim de 2018, sem dar detalhes nem mencionar preços. A companhia sul-coreana é a primeira grande fabricante a lançar um produto do gênero.“O Fold é uma revolução, e não só porque responde aos céticos que dizem que já se fez tudo o que era possível e que a era da inovação nos smartphones acabou, presa a um mercado saturado. Estamos aqui para dizer que estavam errados”, disse DJ Koh, chefe da divisão de celulares na Samsung. A empresa informou ter trabalhado em conjunto com o Google, que desenvolve um sistema operacional Android especialmente adaptado para ser instalado nos celulares da Samsung com o objetivo de otimizá-lo. São do Google também os aplicativos disponíveis no Fold.  A Samsung fez a apresentação em meio a uma grande festa para comemorar os 10 anos da família Galaxy. Líder mundial em vendas de smartphones, a companhia também apresentou o mais novo modelo da linha Galaxy S, o S10. Dona de 20,8% do mercado global, e apesar de uma queda nas vendas de seus produtos no ano passado, a Samsung decidiu desafiar sua principal concorrente, a Apple, em seu próprio território: a sede da marca da maçã fica em Cupertino, a apenas 60 quilômetros de San Francisco.Mercado estagnado

O Fold chega com o grande desafio de agitar um mercado mundial estagnado, onde grande parte da população já tem um smartphone e no qual os consumidores adiam cada vez mais a troca dos modelos que já possuem.E segundo analistas, um smartphone que pode ser aberto para ganhar uma tela mais ampla pode responder bem a esse desafio, já que os consumidores deixam cada vez mais clara sua preferência por modelos que, embora menos leves, são úteis para assistir vídeos, jogar e trabalhar. O problema do modelo, contudo, é o preço elevado - mesmo para os padrões do consumista mercado americano. O objetivo da Samsung, ao que parece, não é inundar o mercado de forma imediata com seu novo produto, mas deixar sua marca e criar uma nova categoria para impulsionar um novo crescimento no mercado.De fato, já há pelo menos um modelo de smartphone dobrável no mercado. Ele foi apresentado na CES de Las Vegas do ano passado, a maior feira de eletrônica de consumo do mundo, por uma pequena empresa emergente chinesa chamada Royole.Mais grosso que o Fold e batizado de FlexPai, ele está , disponível na China (e nos EUA) por US$ 1.300,00. O aparelho também se converte em um tablet, mas tem um sistema operacional independente, diferente da grande maioria dos celulares mundiais que funcionam rodando Android ou iOS. De qualquer forma, o mercado aposta que as telas dobráveis serão a grande inovação deste ano, junto com a internet 5G - dois novos motores que, espera-se, serão capazes de reativar o mercado mundial. (Da France Press)