Publicado 19 de Fevereiro de 2019 - 5h30

O desaparecimento de um garoto de 11 anos, morador no bairro Cidade Jardim, em Campinas, mobilizou as redes sociais na manhã de ontem. O sumiço da criança foi descoberto por volta das 2h da madrugada pelo irmão, de 13 anos, e desde então a família buscou ajuda para achar o menino, que tem deficiência intelectual. A divulgação foi por meio do Facebook e WhatsApp. O menino foi encontrado por volta das 13h.

As primeiras informações que chegaram davam conta de que Carlos Eduardo havia passado por um posto de combustível na Avenida John Boyd Dunlop, mas ao ser chamado por um funcionário, teria fugido.

O garoto mora com o pai e o irmão na casa dos avós e seu desaparecimento foi percebido quando o irmão se levantou para ir ao banheiro. Segundo uma tia, a operadora de caixa Alexsandra Braghetti Alves, de 44 anos, o menino foi dormir antes da meia-noite. “Ele nunca saiu de casa sozinho. A gente não tem ideia qual foi o horário exato que saiu. Ele abriu a porta com a chave e foi embora. Não sabemos o que o levou a fazer isso”, contou Alexsandra, frisando que o garoto não toma remédios, mas recebe acompanhamento em um Centro de Atenção Psicossocial (Caps).

A localização de Carlos Eduardo se deu por volta das 13h, por um motorista da Uber que viu as fotos dele nas redes sociais e passava pela Avenida Prestes Maia, no Jardim do Trevo. O Uber o reconheceu e ligou para um dos telefones de contato da família. O tio do menino entrou em contato com a Polícia Militar (PM) e uma equipe da Rocam foi até o endereço indicado e resgatou o menino, que foi levado para os parentes. “Ele estava tranquilo e nem fazia ideia do que a saída dele de casa tinha causado à família. Simplesmente transmitiu muita inocência. Quando nos viu, ficou contente e quis até fazer fotos e entrar na viatura”, contou o Capitão da PM, Pereira Júnior. "Ele saiu para se aventurar. Estava com uma mochilinha e nem quis falar nada sobre a aventura”, acrescentou.

A família já tinha feito buscas em hospitais e estava desesperada. No momento em que a tia foi avisada da localização do menino, a reportagem a entrevistava por telefone e a avó de Carlos Eduardo ficou eufórica. “Graças a Deus o achamos. Somos muito gratos a todos que divulgaram as fotos dele”, disse.