Publicado 07 de Fevereiro de 2019 - 17h50

Por AFP

Seis pessoas foram presas por uma suposta relação com o assassinato de um jornalista investigativo de Gana, morto em janeiro após descobrir vários escândalos de corrupção no futebol africano, disse a polícia de Gana nesta quinta-feira (7). O porta-voz da polícia, David Eklu, explicou que "seis suspeitos foram presos e estão em liberdade após pagamento de fiança" depois de darem depoimentos. Ahmed Hussein-Suale foi morto a tiros por pessoas não identificadas quando estava dirigindo de volta para casa em Acra.O jornalista fazia parte de um grupo chamado 'Olho do Tigre' que descobriu vários escândalos de corrupção na África Ocidental. A última investigação, apelidada "Número 12", deu origem a um documentário explosivo, lançado em 2018, no qual o jornalista assassinado desempenhou um papel fundamental, enganando dezenas de árbitros ganenses e continentais, assim como os responsáveis pela Federação Ganesa, entre eles seu presidente, oferecendo-lhes subornos.Kennedy Agyapong, deputado pelo governista Novo Partido Patriótico, foi quem divulgou o nome do jornalista, chegando a oferecer uma recompensa para quem "batesse nele". Uma homenagem a Ahmed, que deverá ser realizada na sexta-feira está sendo planejada em Acra. Sua morte desencadeou uma onda de indignação em todo o país, considerado um bastião da democracia e onde a imprensa trabalha livremente.

Escrito por:

AFP