Publicado 07 de Fevereiro de 2019 - 16h10

Por AFP

O assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi foi "planejado e realizado por representantes da Arábia Saudita", denunciou nesta quinta-feira (7) a relatora especial da ONU sobre execuções extrajudiciais, Agnès Callamard.Em um comunicado, a relatora explicou que "tem provas deste assassinato premeditado", que constituiu a "violação mais graves do direito mais fundamental de todos, o direito à vida".Callamard emitiu esta declaração ao retornar de uma missão de investigação na Turquia sobre o assassinato ocorrido em 2 de outubro no consulado saudita em Istambul.A relatora denunciou o uso da "imunidade" diplomática para cometer um assassinato com total "impunidade"."As provas reunidas ao longo de minha missão na Turquia mostram (...) que Khashoggi foi vítima de um assassinato brutal e premeditado, planejado e perpetrado por representantes do Estado da Arábia Saudita", disse ela.O corpo do jornalista, que colaborava com o jornal Washington Post, ainda não foi encontrado, mais de quatro meses depois de sua morte.apo/gca/sg/mr

Escrito por:

AFP