Publicado 18 de Fevereiro de 2019 - 22h23

Por Carlos Rodrigues


A fama de terror dos grandes do Guarani no Campeonato Paulista acabou nesta segunda-feira diante do melhor time do torneio. O Bugre desperdiçou oportunidades, não resistiu à força do adversário e perdeu do Santos pelo placar de 3 a 0, no Pacaembu, em partida válida pela 7ª rodada. Jean Mota (duas vezes) e Rodrygo marcaram os gols da vitória do Peixe, líder do Grupo A com 18 pontos.

Já o Bugre, que perdeu uma invencibilidade de três partidas, segue na terceira posição do Grupo B, com 10 pontos. A equipe volta a campo no sábado, às 16h30, quando enfrenta o São Caetano no Brinco de Ouro.

Diante da principal sensação do campeonato até agora, o Guarani começou a partida adotando a clara estratégia de preencher o meio-campo e vez ou outra avançar a marcação na tentativa de roubar a bola e surpreender no contra-ataque. Nos primeiros minutos, o plano se mostrou acertado, mas com apenas 17 minutos o técnico Osmar Loss foi obrigado a gastar duas substituições - William Matheus deixou o campo com um problema na coxa esquerda e Lucas Crispim saiu com uma lesão na perna direita.

Aos poucos, o Santos foi ganhando cada vez mais campo, mas ainda tinha dificuldades de penetração. Aos 27', Jean Mota cobrou falta, a defesa bugrina parou pedindo impedimento e Gustavo Henrique cabeceou nas mãos de Giovanni. A resposta bugrina, na única finalização certa da etapa inicial, foi em jogada individual de Inácio, que arriscou de fora da área e parou em defesa de Vanderlei.

Quando a marcação bugrina afrouxou um pouco, o time da casa aproveitou para abrir o placar, aos 37'. Victor Ferraz tabelou com Cueva, Inácio não acompanhou a jogada e o lateral-direito achou Carlos Sánchez na área. O uruguaio bateu cruzado e Jean Mota apareceu para desviar e marcar.

O segundo tempo começou à todo vapor. Logo a 1', Thiago Ribeiro arriscou de fora da área e Vanderlei mandou para escanteio. O Santos deu o troco com Carlos Sánchez, que tentou de longe e levou perigo. O Guarani teve uma oportunidade de ouro de empatar aos 8' quando Ricardinho fez ótimo passe para Fernando Viana. Em posição legal, o atacante conseguiu driblar o goleiro santista, mas perdeu ângulo e saiu com a bola pela linha de fundo.

Depois das boas oportunidades criadas, o ritmo de jogo caiu. O Bugre não conseguia agredir e o Santos tentava controlar a partida com posse de bola. Quando aumentou o ritmo, o Peixe foi perigoso. Aos 21', Rodrygo fez cruzamento, Ferreira tentou cortar e Giovanni evitou o contra. A pressão continuou. Após cobrança de escanteio ensaiada, Sánchez achou Jean Mota e o chute do meia passou rente à trave direita. Em noite iluminada, Jean Mota não desperdiçou a chance seguinte, aos 35'. O meia cobrou falta direta e acertou o cantinho esquerdo para marcar seu sétimo gol no campeonato e disparar na artilharia.

O Bugre ainda tentou acordar e descontar nos minutos finais. Thiago Ribeiro e Álvaro tiveram oportunidades, mas pararam em defesas de Vanderlei. Do outro lado, o Santos foi letal e deu o tiro de misericórdia aos 44'. Derlis Gonzáles foi lançado, conseguiu evitar a saída de bola, invadiu a área e, mesmo caído, fez o cruzamento na cabeça de Rodrygo, que só escorou para liquidar a fatura.

SANTOS

Vanderlei; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Aguilar e Copete; Alison (Jean Lucas - 33'/2º) e Diego Pituca; Carlos Sánchez (Yuri - 39'/2º) Cueva (Rodrygo - 17'/2º) e Jean Mota; Derlis Gonzáles. Técnico: Jorge Sampaoli.

GUARANI

Giovanni; Léo Príncipe, Ferreira, Victor Ramos e William Matheus (Inácio - 12'/1º); Deivid (Carlinhos - 33'/2º) e Ricardinho; Lucas Crispim (Álvaro - 17'/2º), Thiago Ribeiro e Jefferson Nem; Fernando Viana. Técnico: Osmar Loss.

 

Gols: Jean Mota, aos 37' do 1º tempo e aos 35' do 2º tempo.; Rodrygo, aos 44' do 2º tempo.

Renda: R$ 399.272,00.

Público: 14.708 pessoas.

Local: Estádio do Pacaembu.

Juiz: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral.

Cartões amarelos: Alison (SAN); Victor Ramos e Carlinhos (GUA)

 

ATUAÇÕES

Giovanni – 4,5

Léo Príncipe – 4

Ferreira – 4,5

Victor Ramos – 5

William Matheus – Sem nota

Deivid – 4

Ricardinho – 5,5

Lucas Crispim – Sem nota

Thiago Ribeiro – 6

Jefferson Nem – 4

Fernando Viana – 3,5

Inácio – 4

Álvaro – 4

Carlinhos – sem nota

 

Osmar Loss – 4,5

Escrito por:

Carlos Rodrigues