Publicado 27 de Fevereiro de 2019 - 8h27

Por Da Agência Anhanguera

Paulo Nogueira confere seu nome a diploma de mérito em Campinas

Cedoc/RAC

Paulo Nogueira confere seu nome a diploma de mérito em Campinas

Paulo Nogueira Neto, professor emérito de Ecologia da Universidade de São Paulo (USP) e um dos patronos do ambientalismo no País, morreu na última segunda-feira, aos 96 anos. O ambientalista confere seu nome ao Diploma de Mérito Socioambiental entregue todos os anos pela Prefeitura de Campinas aos cidadãos brasileiros ou estrangeiros dignos de homenagem pelos relevantes serviços prestados às questões socioambientais.

Secretário especial de Meio Ambiente entre 1973 e 1985, em um órgão criado pelo governo militar que seria o embrião do Ministério do Meio Ambiente, Nogueira Neto foi responsável por introduzir no País a agenda da conservação da natureza, criando 26 estações ecológicas e áreas de proteção ambiental (APAs), em um total de 3,2 milhões de hectares protegidos, em uma época em que o discurso oficial era desenvolvimentista e pregava o avanço, em especial sobre a Amazônia.

Em Campinas, o “Certificado Professor Paulo Nogueira Neto” foi criado por meio da Resolução nº 05 de 18 de maio de 2018, da Secretaria Municipal do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SVDS), durante as comemorações da Semana do Meio Ambiente. Para Rogério Menezes, titular da SVDS, Nogueira Neto foi o “maior de todos, o pioneiro da política ambiental brasileira”. Para o prefeito de Campinas, Jonas Donizette, “Paulo Nogueira Neto dedicou sua vida à sustentabilidade. Foi um visionário ao formular a Política Nacional do Meio Ambiente.”

Foi com Paulo Nogueira que se criou a primeira versão da Estação Ecológica da Jureia (SP), ainda sob o governo federal, antes de virar estadual, e a do Jari, na Amazônia. Nogueira Neto também deu origem a alguns marcos regulatórios, como a Política do Meio Ambiente, de 1981, que criou o Conselho Nacional do Meio Ambiente. Ainda na década de 1980 foi um dos dois únicos representantes da América do Sul na Comissão Brundtland, da Organização das Nações Unidas (ONU), onde foi cunhado o conceito de desenvolvimento sustentável.

Escrito por:

Da Agência Anhanguera