Publicado 11 de Janeiro de 2019 - 16h13

Por Daniel de Camargo

Agência Anhanguera

FOTO: LEANDRO FERREIRA (PISCINA DO CLUBE REGATAS)

O calor forte a as pancadas de chuvas, condições climáticas típicas do Verão, devem persistir nos próximos dias em Campinas. A informação é de Ana Maria Ávila, pesquisadora do Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). De acordo com a meteorologista, são altas as chances de chuvas localizadas e temporais. A temperatura máxima hoje, deve atingir a casa dos 33ºC. Amanhã, a projeção é de que fica em torno de 34ºC. O dia 1 de janeiro de 2019, foi o mais quente do ano em Campinas. Os termômetros registraram 34,7º C. Ana afirma que o recorde não deve ser batido e que a temperatura tende a cair um pouco de domingo para segunda-feira.

O calor forte aliado ao período de férias escolares têm levado muitos campineiros as piscinas da cidade para se refrescar. Na manhã de ontem, a piscina da unidade do Cambuí do tradicional Clube Campineiro de Regatas e Natação, fundado em 1918, estava lotada. Segundo o secretário de Esporte e Lazer, Dario Saadi, a procura pelas piscinas públicas da cidade também é intensa. "A unidade do Taquaral tem recebido, em média, 300 participantes nos dias de semana e 400 no sábado e domingo", disse.

No momento, a Prefeitura oferece 16 opções para a população, espalhadas por todas as regiões do município. Todas contam com salva-vidas e funcionam de quarta a domingo, entre 8h e 12h, e no período da tarde, entre 14h e 17h. Às segundas e terças-feiras, os espaços ficam fechados para manutenção. Para usufruir da infraestrutura, o cidadão precisa realizar um cadastro no próprio local. É cobrada uma taxa de R$ 10 para a confecção de uma carteirinha. Não é necessária a realização de exame médico.

Os equipamentos esportivos disponíveis em todas as regiões de Campinas abertos para a população podem ser conferidos no link abaixo, que disponibiliza inclusive a relação dos endereços e das atividades oferecidas em cada local:

INTERTÍTULO: ESTRAGOS NA RMC

A provável ocorrência de novos temporais, por outro lado, preocupa. No último final de semana, 14 cidades, dentre as 20 pertencentes a Região Metropolitana de Campinas (RMC), entraram em estado de atenção, segundo levantamento do Sistema Integrado de Defesa Civil (Sidec). Houve alagamentos em vias e imóveis, entre outros estragos, como quedas de árvores e muros. Algumas pessoas chegaram a ficar ilhadas em carros, por exemplo. No sábado, Hortolândia e Sumaré decretaram estado de emergência. Alguns trabalhos e atendimentos seguem sendo realizados quase uma semana depois dos fatos. Cerca de 190 famílias de Sumaré, que residem nos bairros Jardins Primavera, São Domingos e Parque Jatobá, atingidas pelas fortes chuvas participaram das Boutiques Solidárias ontem. A ação, promovida pelo Fundo Social de Solidariedade, distribuiu roupas e peças de vestuário doadas pela população. Devido aos estragos, 34 famílias tiveram que deixar suas casas e foram abrigadas por alguns dias em escolas da cidade.

Escrito por:

Daniel de Camargo