Publicado 12 de Janeiro de 2019 - 5h30

Cerca de 9,22 milhões de usuários passaram por Viracopos ao longo do ano passado. O movimento de passageiros dos voos internacionais bateu recorde histórico, com 673,9 mil pessoas transportadas. O resultado anima a direção do aeroporto, que vê tendência de crescimento para 2019. Só em dezembro, para se ter uma ideia, foi registrada a sexta alta consecutiva no movimento de passageiros, levando-se em consideração a temporada anterior. O número absoluto de passageiros foi, sim, levemente inferior ao de 2017, quando 9,33 milhões de passageiros circularam pelo aeroporto campineiro. Mas a retração — 109,5 mil passageiros a menos — tem explicação. A greve dos caminhoneiros, ocorrida no primeiro semestre do ano passado, teve impacto negativo, com o cancelamento de dezenas de voos, em decorrência do desabastecimento das aeronaves. Com a crise superada, o movimento voltou a crescer. Dezembro registrou um aumento de 8,48% em relação ao mesmo período do ano anterior. No último mês do ano embarcaram ou desembarcaram por Viracopos 843.612 passageiros. No mesmo período de 2017, foram 777.655. A retomada gradativa da estabilidade econômica da Nação deixa a direção otimista. A projeção é que, rapidamente, Viracopos vai alcançar a marca de 2015, quando 10,3 milhões de pessoas circularam pelo aeroporto. Recorde

Nos voos internacionais, o movimento de passageiros em Viracopos teve recorde histórico, com crescimento de 23,58% em relação ao acumulado em 2017. Passaram pelo terminal campineiro 673.916 pessoas. Uma marca nunca alcançada. O recorde era de 2015, quando 646.125 passageiros foram transportados. O tema foi abordado pelo Correio na edição do último dia 9, quarta-feira.Hoje, partem de Campinas voos internacionais para Orlando e Fort Lauderdale (Estados Unidos); Lisboa (Portugal), Paris (França) e Buenos Aires (Argentina), inaugurado ontem (veja texto nesta página). Em junho, devem ser lançados voos diretos para Porto (Portugal) e Bariloche (Argentina). A concessionária Aeroportos Brasil Viracopos — responsável pela administração do terminal — mantém negociações para ampliar os destinos internacionais, tanto para passageiros como para cargas.

Voo para Buenos Aires tem 80% de ocupação

O voo inaugural de Campinas a Buenos Aires, com decolagem às 9h de ontem no Aeroporto Internacional de Viracopos, teve aproximadamente 80% de ocupação. O número foi comemorado pela Azul Linhas Aéreas — que lançou a operação no fim de dezembro, com menos de um mês para venda — e também por representantes da Prefeitura de Campinas, que acreditam que a nova rota poderá estreitar as relações comerciais da cidade com a Argentina ao longo de 2019. O Correio acompanhou a primeira operação.

A diretora de Turismo de Campinas, Alexandra Caprioli, afirmou que o Município já está agendando uma feira de negócios em Buenos Aires para apresentar o poder comercial da Região Metropolitana de Campinas (RMC) ainda neste primeiro semestre. “Este voo para a Argentina, além de muito bom para o campineiro pelo aspecto do turismo, também pode trazer um turismo receptivo para a cidade. Conseguimos imaginar um crescimento representativo no volume de negócios que conseguiremos fazer com o mercado argentino a partir de agora”, disse Caprioli.

“A nossa balança comercial com a Argentina já é muito forte, e com esta ligação direta será muito mais fácil o acesso de empresas argentinas ao nosso polo tecnológico e nossas indústrias”, acrescentou. As tratativas para viabilização da rota Campinas-Buenos Aires tiveram início em 2017. O prefeito Jonas Donizette (PSB) inclusive chegou a enviar uma apresentação sobre o potencial econômico da RMC ao presidente argentino Mauricio Macri.

O secretário de Desenvolvimento Econômico de Campinas, André Von Zuben, lembra que as negociações esbarraram muitas vezes no descrédito do governo argentino com a força econômica de Campinas. “Inicialmente, a visão que se tinha de Campinas era de uma cidade de Interior e que não haveria necessidade de um voo desses pela proximidade com São Paulo, mas depois conseguimos mostrar que o nosso próprio PIB é superior a países como Paraguai e Bolívia. Somos uma região metropolitana com a força de um país”, destacou.

Os voos de Campinas a Buenos Aires ocorrerão diariamente com decolagens às 9h. A partir de junho, a Azul lançará também uma nova rota para a Argentina, para a cidade de Bariloche, conhecida por suas montanhas e lagos. O voo inaugural de ontem contou com recepção especial preparada aos passageiros para se ambientarem com a culinária argentina, servindo a tradicional medialuna (uma espécie de croissant com doce de leite), além dos famosos alfajores. Após cerca de 2h50 de viagem, a aeronave A320neo passou um ritual de “batismo” ao aterrisar no Aeroporto Internacional de Ezeiza, recebendo um jato d’água do Corpo de Bombeiros de Buenos Aires.

Algumas autoridades locais também recepcionaram os passageiros, entre eles, o presidente da Azul, John Rodgerson, que anunciou que a companhia pretende fechar 2019 superando a marca de 60 destinos partindo de Viracopos — atualmente, são 57 em operação, além de mais dois já anunciados para estrear em junho: Bariloche e Porto (Portugal). “Será mais um ano de crescimento, em que esperamos encerrar com pelo menos 63 operações com Viracopos como origem ou destino. Campinas é bem diferente de São Paulo, abrange um Interior todo e permite que possamos conectar quase 60 destinos com a cidade e também com o mundo para nossas operações internacionais. É gente de Sinop (MT) que pode ir para Buenos Aires agora, por exemplo”, pontuou.

Em 2018, o Aeroporto Internacional de Viracopos bateu o recorde de embarques e desembarques para destinos internacionais. Estimativa da Concessionária Aeroportos Brasil Viracopos S.A. apontou que, ao longo do último ano, 652 mil pessoas passaram pelo terminal campineiro por voos realizados para o Exterior.