Publicado 07 de Dezembro de 2018 - 22h50

Por AFP

Um importante funcionário russo ofereceu à campanha de Donald Trump "sinergia a um nível de governo" em um contato em novembro de 2015, revela nesta sexta-feira o relatório do procurador especial Robert Mueller, que investiga a suposta interferência da Rússia na campanha presidencial dos EUA.O ex-advogado pessoal de Trump Michael "Cohen recebeu informação do contato e falou com um cidadão russo, que afirmou ser uma 'pessoa de confiança' da Federação Russa que ofereceu à campanha 'sinergia política' e 'sinergia a um nível de governo'", destaca o documento.O cidadão russo - que não foi identificado - propôs a Michael Cohen uma reunião com o líder russo, Vladimir Putin, segundo Mueller.Esta "pessoa disse a Cohen que uma reunião assim teria um impacto 'fenomenal' não 'apenas politicamente, mas de dimensão empresarial também'", acrescenta o relatório. Estas novas revelações ocorrem no momento em que Trump insiste em criticar e desacreditar a investigação de Mueller, que afirma que não levará a "qualquer conclusão". Na manhã desta sexta-feira, Trump denunciou no Twitter "os numerosos conflitos de interesse" que supostamente tem o procurador especial. "Já há 87 páginas redigidas mas, obviamente, não podemos terminar até que vejamos o relatório final sobre esta caça às bruxas", escreveu o presidente. cat/lr

Escrito por:

AFP