Publicado 04 de Outubro de 2018 - 13h00

Por Adagoberto F. Baptista

Alenita Ramirez

[email protected]

Foto: Thomaz

Uma supervisora de 52 anos foi torturada e morta a golpes de faca durante um assalto na tarde de anteontem, na Vila Monte Alegre, em Paulínia. Shirley Faria Alves foi encontrada por um dos filhos, caída na cozinha da casa. Ele teve o pescoço decepado e um dedo anelar cortado. Os criminosos fugiram com o carro dela e joias. Ninguém foi preso até final da manhã de ontem. O crime é investigado na delegacia da cidade e chocou o bairro.

De acordo com vizinhos, Shirley morava, de aluguel, no bairro havia quatro anos. Há um ano ela ficou viúva e residia sozinha no imóvel principal. Um sobrinho mora em uma edícula nos fundos, com entrada independente. A vítima trabalhava em um restaurante em Americana e costumava sair todos os dias às 4h da manhã e voltava por volta das 14h. Ela tinha um Kia Cerato. “Era raro a gente vê-la. Era uma mulher que saia cedo para o trabalho e quando voltava ficava em sua casa. Quando passava pela gente, levantava a mão e cumprimentava”, disse um vizinho que não quis ser identificado.

A Polícia Civil não quis comentar o crime. Vizinhos relataram que supostamente a vítima foi rendida quando deixava o trabalho. Os criminosos a teriam levado em uma agência bancária e depois seguido para a casa dela. “Choveu muito aqui à tarde, entre 13h e 14h30 e não vimos movimentos estranhos. Então achamos que os bandidos entraram com ela na garagem, pois não houve arrombamentos”, comentou outro vizinho.

Ainda segundo vizinhos, o último contato dela foi com um rapaz o qual deu carona. A família tentou falar com a supervisora e como não conseguiu, foi até o imóvel. “Cheguei do mercado por voltas das 15h e não vi nada. Entrei para dentro de casa e quando sai, cerca de uma hora depois, vi um monte de viaturas na rua e então soube o que tinha acontecido com ela. É muito triste, pois os criminosos foram muito violentos”, disse um vizinho.

O corpo de Shirley foi enterrado na tarde de ontem em Paulínia. A família não quis comentar o caso.

Latrocínio

Este é o segundo latrocínio, roubo seguido de morte, registrado neste ano em Paulínia. O último registrado na cidade foi em abril de 2015.

Em maio deste ano, um homem de 34 anos foi morto com um tiro no peito após ser rendido por dois criminosos, quando voltava das compras com a mulher. O crime foi no Parque dos Servidores. Thiago Souza Penachin estava de joelhos, na cozinha, com a esposa, quando foi baleado. Os bandidos fugiram. A vítima chegou a ser socorrida, mas morreu no hospital.

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista