Publicado 04 de Outubro de 2018 - 12h43

Por Paulo César Dutra Santana

Paulo Santana

Da Agência Anhanguera

[email protected]

Em sua entrevista de apresentação, o técnico Gilson Kleina disse que avaliaria a situação de jogador por jogador para traçar a melhor estratégia e buscar a reação da Ponte Preta na Série B do Campeonato Brasileiro. E o que se viu nestes primeiros treinamentos, foi o resgate de peças que já foram importantes em algum momento da temporada, mas que estavam “abandonadas” no elenco.

O meia Lucas Mineiro, o atacante Felipe Saraiva, o lateral Danilo Barcelos e o armador Tiago Real estão reconquistando espaço e são exemplos dessa nova mentalidade de comando. “Tive alguns bons momentos com o João Brigatti, mas acabei ficando de fora dom o Marcelo Chamusca”, admite Lucas Mineiro.

“Entendo e respeito e opinião de todos, mas nunca deixei de trabalhar porque sabia que a chance poderia aparecer a qualquer momento. Agora, com o Gilson, estou reconquistando. É continuar me dedicando para poder ajudar a Ponte nestes jogos finais da Série B”, completa, o meia que foi jogador do novo comandante quando estava na Chapecoense.

De acordo com Kleina, o momento da Macaca exige cuidados adicionais. “Tenho que estudar e ver de que maneira posso melhorar o encaixe do time. Não adianta achar que tem que ser feita uma formatação, se a característica do atleta não encaixar naquilo. Tenho que trabalhar para posicionar cada um em sua devida posição”, disse.

Ontem, depois do treino coletivo que foi fechado para a imprensa, Kleina comandou um longo trabalho de finalização e jogadas de bola parada. “Não quero jogador acomodado. Quero o atleta sintonizado com o objetivo do clube. Primeiro vem o objetivo da Ponte Preta, depois o objetivo pessoal. Só se atinge um alto nível com trabalho”, ressalta.

Hoje pela manhã, o elenco faz o último treino de posicionamento, seguido de um recreativo, no Majestoso. Aí, termina a preparação para o duelo com o CRB, amanhã, às 18h30, no Estádio Moisés Lucarelli, pela 30ª rodada.

O time deverá apenas uma mudança entre os titulares, mas o banco de reservas deverá ser formado com algumas caras novas. Tiago Real, que é meia de armação, disputa a vaga com Roberto, que é atacante de lado.

Com Tiago, a Macaca poderá ganhar corpo no meio e terá dois atacantes de lado. Neste caso, Matheus Vargas ganha liberdade para chegar mais o ataque. Com Roberto, segue a formatação que vinha sendo usada por Chamusca, com 4-2-1-3.

Os ingressos para esta partida estão à venda por R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia) nas bilheterias do Majestoso.

Escrito por:

Paulo César Dutra Santana