Publicado 03 de Outubro de 2018 - 14h21

Por Adagoberto F. Baptista

Alenita Ramirez

[email protected]

Foto: Solicitada para o período da tarde

Cerca de 1,8 mil pessoas participaram ontem da 8ª Mostra de Trabalhos de Cursos Técnicos, no Colégio Técnico da Unicamp, o Cotuca. O evento reúne representantes de colégios técnicos de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraná e foi dividido em dois tipo: de desafio e de mostra. Ao menos 350 projetos dos mais diversificados temas foram expostos. “A intenção deste evento é melhorar o ensino técnico através da pesquisa, além de inserir esses jovens no mercado de trabalho”, disse a coordenadora, Cintia Kinie Aihara.

No total, 820 escolas técnicas do sistema “S” (Senai e Sesi) além do Cotuca e Cotil participaram da amostra. Segundo a diretora co colégio, Vanessa Petrilli Bavaresco, foram inscritos 430 projetos, mas apenas 350 apresentaram. Os temas abordavam questões de meio ambiente, aplicativo para auxiliar os idosos, alimentação entre outros. Os projetos seriam expostos e também seriam avaliados por uma comissão científica formada por professores e pessoas ligadas a empresas. “O requisito para participar é que o candidato estivesse em curso técnico”, disse Vanessa.

Os projetos estavam divididos em formatos de pôsteres e protótipos. A exposição começou as 14h de hoje e se estendeu ate às 17h. Os melhores receberiam menção honrosa. Só de alunos do Cotuca, foram 35 projetos apresentados.

Pela manhã aconteceu o desafio, com a disputa de três equipes finalistas. Cada equipe tinha entre 3 e 7 estudantes. Neste caso, o evento teve a participação das empresas Mahle, de Jundiaí, e Instituto Biofabris e os participantes tinham de apresentar de forma oral os trabalhos desenvolvidos. O vencedor receberia menção honrosa. Segundo Cintia, em edições anteriores, o primeiro lugar, os estudantes chegaram a fazer estágios nas empresas. Para esta edição ainda não havia definições.

A primeira edição da Mostra reuniu somente trabalhos internos do Cotuca. No ano seguinte, o projeto foi ampliado para outras escolas. No ano passado, as escolas da Bahia participaram. Segundo Vanessa, a ideia é ampliar a disputa, que ocorre sempre em outubro, para todas as escolas técnicas do país.

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista