Publicado 02 de Outubro de 2018 - 17h45

Por Paulo César Dutra Santana

Paulo Santana

Da Agência Anhanguera

[email protected]

A missão do técnico Gilson Kleina na reta final da Série B do Campeonato Brasileiro não é das mais complicadas. Isso porque, para fugir de qualquer risco de rebaixamento, será preciso somar apenas oito dos 27 pontos possíveis em nove jogos. Um aproveitamento de 29,6% do total, que seria rendimento abaixo até do lanterna Boa Esporte, que conquistou 29,9% dos pontos jogados em toda competição.

Para Kleina, que foi apresentado ontem à tarde e já comandou um treino tático no CT do Jardim Eulina, o primeiro passo do trabalho que incialmente vale até o encerramento da Série B é resgatar a autoestima equipe. “A gente sabe que futebol é confiança e é isso que a gente vai procurar trabalhar com os jogadores nestes nove jogos. Tenho hoje (ontem) e amanhã (hoje) para avaliar e decidir a melhor formação e ir reagrupando”, comentou.

O novo comandante elogiou o comportamento da zaga alvinegra, mas destacou a fragilidade ofensiva. “Entendo que está havendo uma boa consistência defensiva, mas dá para ver que os número de gols marcados é baixo. A gente precisa saber como está sendo trabalhado esta parte ofensiva e buscar melhorar. Quem sabe podemos resgatar até alguns jogadores do elenco que estejam, no momento, fora de combate”, disse.

Para ele, o momento de cobrança por parte da torcida exige a união dos atletas e um pouco de paciência da arquibancada. “Falei aos jogadores que, por mais que estejamos passando por um momento de dificuldade, a cobrança é inerente. Por isso, é preciso diminuir o erro, simpliifcar o jogo e tentar readquirir a confiança. Vamos buscar um novo perfil para esta equipe. Sabemos que as vitórias trazem a autoestima e tranquilizam o torcedor que cobra, mas também joga junto”, ressalta.

Kleina destaca o respeito aos adversários. “Todos os jogos, em qualquer divisão, são sempre difíceis. Não se pode analisar a tradição de uma equipe achando que vai ficar mais fácil. É preciso ter consistência e lutar bastante para conseguir os melhores resultados”, conclui.

Em duas passagens pelo Majestoso (2011/12 e 2017), obteve 49,3% dos pontos em 152 partidas oficiais, valendo pelas séries B e A do Brasileiro e também pelo Campeonato Paulista, Copa do Brasil e Copa Sul-Americana.

Foram 61 vitórias, 42 empates e 49 derrotas e conquistas importantes: um acesso para o Brasileirão, um vice-campeonato paulista e um sétimo lugar no Brasileiro. “Tivemos boas passagens na Ponte e hoje sabemos que é uma situação completamente diferente de todas as outras. Mesmo assim, temos uma missão importante e vamos trabalhar para corrigir o mais rápido possível”, disse Gilson, que a pega a Macaca na 13ª posição, a oito pontos do G-4 e a seis da zona de rebaixamento..

Escrito por:

Paulo César Dutra Santana