Publicado 02 de Outubro de 2018 - 13h41

Por Rafaela Dias

Jaine passou de braço direito de Ricardo a uma grande chefe de buteco, mas ele gosta de por a mão na massa, desde os pratos executivos servidos no almoço, até os petiscos, como o boquinha de anjo de pernil defumado e coxinha de rabada com massa de mandioca. Para beber, a caipirinha que leva o nome da casa.

Leandro Ferreira

Jaine passou de braço direito de Ricardo a uma grande chefe de buteco, mas ele gosta de por a mão na massa, desde os pratos executivos servidos no almoço, até os petiscos, como o boquinha de anjo de pernil defumado e coxinha de rabada com massa de mandioca. Para beber, a caipirinha que leva o nome da casa.

Ele cozinha, ela manda. Acredite, essa sintonia me fez ter a certeza de que o Estação Bonfim é um dos lugares ideais para terminar um expediente em Campinas. Eu já costumava frequentar os bares do Jardim Chapadão com uma grande amiga, a Vanessa, mas ainda não tinha passado por lá. A simpatia e o excelente atendimento da Jaine me fez sentar no balcão, perto dela, e assim começamos a conversar. Há dois anos e meio eles compraram o bar em parceria com um tio do Ricardo, o Giba. Ela não queria muito no começo, mas agora passou de braço direito dele para uma grande chefe de buteco. Nos dias de muito movimento, eles contam com a ajuda do Ivo, o cozinheiro veio do Piauí e manda muito bem. Mas é Ricardo quem gosta de por a mão na massa, desde os pratos executivos servidos no almoço, até os petiscos.

O primeiro que resolvi experimentar foi uma coxinha de rabada com massa de mandioca. Pelo amor, pensa num negócio bom. Ainda estou pensando nela. Descobri que quem faz, é a esposa do tio Giba, a Shirley. Ela é daquelas tias que faz os salgados da família, sabe? Já dá para imaginar a qualidade. Soube ainda pelo Ricardo que o croquete vende muito, mas quem negaria uma coxinha? O fígado com jiló é um dos carros chefes da casa também, mas eu acabei me esbaldando num boquinha de anjo de pernil defumado, cebola, azeitona chilena, rúcula e provolone. Se eu indico o Estação Barão Geraldo? Todos os dias.

Cerveja não falta, são mais de 40 marcas para todos os tipos de gostos. Experimentei as populares e as artesanais, todas ridiculamente geladas. Promoção tem todo dia. A Jaine, que faz questão de cuidar das redes sociais, sempre coloca por lá a breja que mais tá valendo a pena. Mas o que me impressionou foi o barril gigante de cachaça. O alambique que fornece fica entre Tuiuti e Amparo é o mesmo que cuida do pernil e do pimentão defumado que vai nas receitas. Experimentei desse mesmo fornecedor uma chamada Tonel 169. Com dez anos de repouso em um tonel de laranja, ela ficou um mel. Deliciosa. Mas eu não sou a única cachaceira daquele bar. Seu Dito, de 62 anos, que mora na região há 54, passa todo dia no Estação para tomar uma marvada. Ele tem até garrafa exclusiva que fica na geladeira. Privilégio? Segundo ele, o atendimento faz com que entre todos os bares da região, ele escolha sempre o Estação Bonfim. Para fechar, o Ricardo, que também tem muito talento nos drinques, preparou uma caipirinha que leva o nome do bar. A receita, que carrega manjericão, gengibre, maracujá, morango, limão e vodca, ficou sensacional. Ricardo leva mesmo jeito para isso. Ah, já ia me esquecendo. Para quem gosta de um MPB e Pop Rock, de sexta e sábado tem voz e violão lá no bar. O cardápio do almoço sempre está numa lousa na porta do buteco também. Logo passo lá para experimentar. Sucesso? Creio que sim. Os clientes são chamados por eles de inquilinos, afinal, vão lá toda semana. Fidelidade define esse sujinho de dar orgulho.

Estação Bonfim

Endereço: R. Dr. Rafael Sáles, 758 - Bonfim

Telefone: (19) 3367-7768

Abre de terça a quinta, das 11h às 22h | de sexta e sábado, das 11h à meia noite com música ao vivo

Escrito por:

Rafaela Dias