Publicado 04 de Outubro de 2018 - 5h30

A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo implantará um projeto-piloto da Central de Regulação e Oferta de Serviços de Saúde (Cross) em Campinas. De acordo com a diretora do Departamento Regional de Saúde (DRS) de Campinas, Mirella Povinelli, a regional regulará em média 6 mil solicitações mensais em urgência, emergência e mais 200 ofertas da rede de oncologia.

O primeiro núcleo regional funcionará 24h, sete dias por semana, auxiliando ininterruptamente na viabilização da assistência a pacientes dos 42 municípios da área de abrangência. O anúncio foi feito pelo secretário da Pasta, Marco Antonio Zago, na manhã de ontem, no auditório do DRS, onde o serviço será prestado - na Avenida Orosimbo Maia, n 75, na Vila Itapura.

O valor mensal para manter a iniciativa será de R$ 530,9 mil, por meio de contrato de gestão com o Serviço Social da Construção Civil do Estado de São Paulo (Seconci-SP), entidade filantrópica, sem fins lucrativos e parceira do Estado há 19 anos na gestão de serviços de saúde, incluindo hospitais e Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs).

A implantação será realizada em até 60 dias. Zago afirmou que a criação do núcleo regional demonstra o empenho do governo estadual em fortalecer a assistência descentralizada, unificando as redes locais e aproximando os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).

Os processos de regulação serão embasados em pactuação e protocolos assistenciais, visando oferecer assistência em serviços de referência mais próximos e adequados para cada caso.

Inicialmente, 16 profissionais atuarão no serviço, nos mesmos moldes da matriz da Cross, localizada na Capital. Serão oferecidos também recursos de telemedicina, permitindo a discussão de casos e cenários entre profissionais de hospitais distintos, além de operar em cogestão com os complexos reguladores municipais.

Sistema on-line

A Cross possui um sistema on-line que busca vaga disponível em várias unidades (não apenas nos hospitais estaduais), na região de origem do paciente e, eventualmente, em todo o Estado, conforme o recurso necessário. Desse modo, é possível obter o atendimento necessário ao paciente no local mais próximo.

Central Municipal

Campinas já conta com uma Central Municipal de Regulação que funciona diariamente, das 7h às 22h, no mesmo local. Ao todo, são 15 médicos reguladores: 10 para urgência e leitos; cinco no ambulatório de exames e procedimentos de alta complexidade.