Publicado 04 de Outubro de 2018 - 21h10

Por AFP

O presidente Nicolás Maduro acusou nesta quinta-feira (4) o seu homólogo colombiano, Iván Duque, de buscar um racha na Força Armada venezuelana e disse que o seu governo é uma mistura de "ódio" e "inexperiência".Duque "é um diabo que odeia a Venezuela e está conspirando diariamente contra o nosso país, contra a nossa Força Armada Nacional Bolivariana. Da Colômbia financiam a conspiração para prejudicar a nossa Força Armada", disse Maduro durante um ato público.Com grande poder político e econômico, os militares são considerados por especialistas como o principal pilar do presidente venezuelano, que enfrenta uma forte rejeição popular pela crise econômica e submetido a um cerco diplomático."O governo satélite da Colômbia é um governo perigoso porque (...) combina muito ódio com inexperiência", destacou Maduro no evento transmitido pela televisão oficial.O governante socialista acusa Juan Manuel Santos, antecessor de Duque, de estar por trás da explosão de dois drones quando fazia um discurso durante uma parada militar, em 4 de agosto.Maduro denuncia esses fatos como um "magnicídio em grau de frustração" e pediu à Colômbia que entregue ao ex-presidente do Parlamento Julio Borges, a quem acusa pelo ataque com os drones e que está exilado em Bogotá.O direitista Duque, que tem a última palavra frente às solicitações de extradição, já o descartou e pediu à comunidade internacional que asfixie a "ditadura" de Maduro para que haja uma transição política na Venezuela.Maduro reiterou o seu pedido aos militares para que fiquem em alerta, em um momento em que denuncia que a direita colombiana quer gerar um confronto armado com a Venezuela."Alerto os nossos militares: máxima moral, máxima lealdade, máximo compromisso diante da conspiração oligárquica colombiana do governo de Iván Duque!", sustentou.

Escrito por:

AFP