Publicado 02 de Outubro de 2018 - 17h10

Por AFP

O jornalista austríaco-americano Carl Goette-Luciak, que cobria os protestos contra o governo na Nicarágua para meios de comunicação internacionais, foi detido e deportado para El Salvador, informaram ONGs e a imprensa local nesta terça-feira (2).Goette-Luciak foi detido na segunda-feira em sua casa em Manágua por agentes que o levaram descalço, sem camisa e usando apenas um short, assinalou a revista digital nicaraguense Confidencial, do jornalista Carlos Fernando Chamorro, citando declarações do próprio repórter.O governo de Daniel Ortega não se pronunciou sobre a suposta captura e deportação de Goette-Luciak para El Salvador, nem sobre as denúncias direcionadas a ele.Consultado pela AFP, o Departamento de Estado americano disse ter relatos de um cidadão dos Estados Unidos preso na Nicarágua, mas não quis dar mais detalhes."Uma das funções mais importantes do Departamento de Estado e de embaixadas e consulados é fornecer ajuda para cidadãos americanos que são presos ou detidos. Por razões de privacidade, não faremos mais comentários", assinalou uma porta-voz."Me perguntaram se eu era agente da CIA (Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos) e me mostravam as publicações e os memes das redes sociais", contou o jornalista."Um policial me disse que eu seria deportado porque em meus artigos escrevia e opinava coisas falsas", assinalou Goette-Luciak. O jornalista foi alvo de "ameaças e acusações nas redes sociais de ser inimigo e até pertencer a agências de Inteligência estrangeiras", segundo a organização de escritores PEN em comunicado.Goette-Luciak, filho do acadêmico americano Ilja Luciak, também é documentarista e antropólogo.A documentarista brasileira Emília Mello já foi deportada da Nicarágua após ser detida em 25 de agosto com um grupo de estudantes enquanto iam para uma marcha em Granada.

Escrito por:

AFP