Publicado 04 de Outubro de 2018 - 13h36

Por Estadão Conteúdo

Cada vez mais perto do penta, o inglês contou com uma ajuda da direção da equipe para vencer em solo russo

AFP

Cada vez mais perto do penta, o inglês contou com uma ajuda da direção da equipe para vencer em solo russo

Menos de uma semana após obter polêmica vitória no GP da Rússia de Fórmula 1, Lewis Hamilton afirmou nesta quinta-feira que não espera contar com nova ajuda do companheiro de Mercedes, Valtteri Bottas, no GP do Japão, em Suzuka. E garantiu que a troca de posições em Sochi não afetou o clima dentro da equipe.

"Eu não cheguei aqui pensando que Valtteri deve trabalhar para mim", declarou o piloto inglês, principal candidato ao título do Mundial deste ano. "Como eu entendo esta situação: ele deve fazer o melhor trabalho possível para ele mesmo no fim de semana e eu devo buscar a vitória."

Hamilton assegurou que o contestado triunfo do domingo passado não abalou o clima na equipe e nem na fábrica da Mercedes. "Eu voltei para a Inglaterra no início da semana e vi todo mundo na segunda-feira. O espírito do time é o melhor que já vi", assegurou o tetracampeão.

Cada vez mais perto do penta, o inglês contou com uma ajuda da direção da equipe para vencer em solo russo no domingo passado. Segundo colocado durante a maior parte da prova, ele viu a chefia do time ordenar ao finlandês Valtteri Bottas que permitisse a ultrapassagem de Hamilton no decorrer da prova.

Bottas ainda questionou se a posição seria devolvida na parte final da corrida, mas a resposta foi negativa. Na cerimônia de premiação, Hamilton pediu ao finlandês que dividisse o lugar mais alto do pódio com ele. E chegou a oferecer o troféu de campeão a Bottas, que rejeitou a oferta.

Questionado sobre o ritmo da Mercedes em Suzuka, Hamilton se mostrou ansioso para tentar ao menos igualar o desempenho exibido nesta mesma etapa em 2017. Na ocasião, ele bateu o recorde da pista para um carro de Fórmula 1 no treino classificatório, ao registrar o tempo de 1min27s319.

"Mal posso esperar para pilotar novamente nesta pista porque será a volta mais rápida que conseguiremos completar em Suzuka. O primeiro setor do traçado será insano", afirmou o inglês, já projetando novo recorde, uma vez que os carros deste ano estão ligeiramente mais velozes do que na temporada passada.

Hamilton e os demais pilotos do grid vão à pista de Suzuka nesta quinta-feira, às 22 horas (pelo horário de Brasília) para o primeiro treino livre. A segunda sessão terá início às 2 horas de sexta-feira. No sábado, o treino classificatório está marcado para as 3 horas. E a corrida, na madrugada deste domingo, vai começar às 2h10.

Escrito por:

Estadão Conteúdo