Publicado 05 de Outubro de 2018 - 7h30

Por Daniel de Camargo

Candidato percorre as ruas na região central de Campinas acompanhado pelo prefeito Jonas Donizette, correligionários e cabos eleitorais

Matheus Pereira/Especial para a AAN

Candidato percorre as ruas na região central de Campinas acompanhado pelo prefeito Jonas Donizette, correligionários e cabos eleitorais

Candidato à reeleição, Márcio França (PSB), esteve em Campinas na manhã de ontem e não poupou ironias direcionadas a seus principais concorrentes, João Doria (PSDB) e Paulo Skaf (MDB. Na ocasião, o prefeito Jonas Donizette (PSB) “turbinou” seu apoio a França. Após visita à Escola de Técnicas de Economia Criativa (Etecri), no Jardim Santa Mônica, a comitiva passou pelo camelódromo e pela Rua 13 de Maio, na região central. Por fim, um comício foi promovido na Praça Rui Barbosa, atrás da Catedral Metropolitana de Campinas.

O prefeito esteve lado a lado com o governador durante todo o trajeto da caminhada. Sua atuação mais efetiva, entretanto, ocorreu quando ele discursou. Em muitos momentos, o chefe do Executivo esbanjou eloquência construída ao longo de sua carreira de radialista. Jonas alfinetou Doria, lembrando que França foi prefeito de São Vicente, tendo cumprido todo o seu mandato. “Não abandonou a Prefeitura. Não largou nenhuma tarefa no meio do caminho”, enfatizou, recriminando o tucano que deixou a Administração da Capital para concorrer ao governo do Estado.

Três décadas

Sem meios-termos, França frisou que após cerca de 30 anos de vida pública, segue com a ficha limpa. Segundo o candidato do PSB, dentre os três principais concorrentes ao cargo, só ele pode promover um governo sensível e focado em atender as demandas das classes menos abastadas.

Em um discurso ácido, ao mesmo tempo hilário, o governador relembrou a famosa dupla sertaneja Milionário & José Rico para se referir a Doria e Skaf. Contudo, afirmou que “os dois são pessoas boas”, mas que os empresários não têm a sensibilidade do povo. “Eles não frequentaram escola pública, não andaram de carro, ônibus ou trem. Eles só andam de helicóptero”, brincou. França condenou a intenção do candidato do MDB de levar o padrão Sesi à escola pública. Entre outros, reforçou que pretende valorizar o trabalho das forças policiais, mas que somente isso não é o suficiente para garantir a segurança. Ele pretende ainda qualificar a mão de obra jovem viabilizando assim que esses cidadãos entrem e permaneçam no mercado de trabalho. No encerramento, deu ênfase que o MDB, do concorrente Skaf, é o partido do presidente Michel Temer. “Vocês acham que dá para trazer o MDB para governar o Estado de São Paulo?”, questionou. “Pelo amor de Deus”, completou, acrescentando que a legenda administra o Rio de Janeiro, que se encontra em situação alarmante.

Nova unidade deve ser construída no Campo Belo

Enquanto discursava na praça Rui Barbosa, Márcio França (PSB) reafirmou que, se eleito, vai zerar as filas das consultas. A estratégia, é abrir os Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs), aos finais de semana. O governador anunciou que foi autorizada a construção de outro AME na cidade. De acordo com Jonas, a unidade de Saúde será instalada na região do Campo Belo, uma área extremamente carente da cidade.

Segundo França, as obras do AME no bairro São Bernardo, ao lado do Hospital Mário Gatti, estão adiantadas. O empreendimento conta com investimentos de R$ 40 milhões e previsão de começar a funcionar em 2019. Será o maior AME do Estado de São Paulo. A proposta visa agregar os ambulatórios clínico e cirúrgico em 8 mil m² de construção da unidade, que já integra os serviços municipais de urgência, emergência e hospitalar.

Escrito por:

Daniel de Camargo