Publicado 04 de Outubro de 2018 - 8h05

Por Estadão Conteúdo

O longa de estreia do cineasta mexicano Carlos López Estrada tem tudo a ver com outras obras que também abordam a questão racial nos EUA.

Neste ano em que Pantera Negra arrebentou na bilheteria e estabeleceu um novo patamar para a consciência negra na América, o filme narra a história de um negro em liberdade condicional e seu parceiro branco.

De cara, o primeiro testemunha o assassinato cometido por um policial (branco). É a sua condenação à morte. López Estrada narra sua tragédia em três dias e três atos, com direito a final explosivo. Um filme forte.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Escrito por:

Estadão Conteúdo