Publicado 10 de Agosto de 2018 - 14h09

Por Adagoberto F. Baptista

Da Agência Anhanguera

A oferta de produtos hortifrutigranjeiros na Centrais de Abastecimentos (Ceasa) de Campinas cresceu 3,4% entre os anos de 2016 e 2017. Ao todo, foram 632,3 mil toneladas comercializadas ao longo do ano passado, o que representou uma arrecadação de R$ 1,4 bilhão, cerca de 11,4% abaixo do registrado em 2016. O preço médio unitário dos produtos, com isso, caiu 14,2%, passando de R$ 2,74 para R$ 2,35. Os números são do Relatório de Análise Conjuntural do Abastecimento e Comercialização da Ceasa Campinas, divulgado nesta semana pelo Departamento do Mercado de Hortifrutigranjeiros do entreposto.

De acordo com o levantamento, a venda de frutas teve um impacto maior no volume da oferta de produtos, com um crescimento de 5,4% em relação a 2016. O dado revelou uma recuperação do segmento, já que no último relatório conjuntural, as frutas tiveram um decréscimo de 3,9% em relação a 2015. No total, foram comercializados cerca de 346 toneladas (54,9%) de frutas, que totalizaram R$ 841,4 milhões, valor 7,1% menor que o de 2016. Os destaques foram as tangerinas e o limão que tiveram um aumento de 25,6% e 21,5%, respectivamente.

Já as vendas de hortaliças totalizaram 283 toneladas vendidas, um crescimento mais modesto em relação as frutas, de apenas 1,2%, em relação a 2016. No total, foram arrecadados R$ 629,1 milhões com os produtos em 2017. A batata inglesa foi o produto mais vendido, registrando crescimento de 13,6% no volume em relação a 2016. Já a oferta de ovos caiu pelo segundo ano consecutivo, ficando 9,2% abaixo do ano anterior, passando de 2.503 kg para 2.273 kg em 2017.

Segundo o engenheiro agrônomo da Ceasa, Ricardo de Oliveira Munhoz, o clima favorável em 2017 proporcionou boas condições à produção agrícola. “Consequentemente, com a maior oferta de produtos no campo, os valores pagos ao produtor foram achatados em razão da maior concorrência. Ao mesmo tempo, no outro extremo da cadeia, o consumidor testemunhava a redução de seu poder de compra causada pela recessão econômica, o que justifica a deflação de preços em todos os elos da cadeia”, explicou. “Porém, apesar disso, o volume geral da Ceasa Campinas cresceu 3,4%, principalmente graças à maior entrada das frutas, a preços mais acessíveis, com variedade e qualidade”, completou.

Hortifrutigranjeiros 2017 (Kg) 2016 (Kg) Variação 2017/2016

Oferta Total 632.306.827 611.553.946 3,4%

Frutas 346.922.095 329.206.832 5,4%

Hortaliças 283.110.816 279.843.121 1,2%

Ovos 2.273.916 2.503.993 -9,2%

Hortifrutigranjeiros 2017 (R$) 2016 (R$) Variação 2017/2016

Valor Total 1.482.162.655 1.671.992.465 -11,4%

Ovos 11.516.791 11.826.472 2,6%

Frutas 841.455.379 905.772.103 -7,1%

Hortaliças 629.190.485 754.393.890 -16,6%

Preço unitário médio 2,35 2,74 -14,2%

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista