Publicado 10 de Agosto de 2018 - 19h05

Os concertos deste e do próximo fim de semana da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas (OSMC) destacam o romantismo de Frédéric Chopin (1810-1849). As apresentações dão continuidade à parceria firmada no ano passado entre a Sinfônica e o Laboratório de Piano da Universidade de São Paulo (USP), que resultou em nove concertos com o ciclo integral da obra para piano e orquestra de Ludwig Van Beethoven. A dobradinha retorna agora com a produção pianística de um dos compositores mais populares e inspiradores da cena erudita. Serão dois finais de semana de concertos no Teatro Municipal José de Castro Mendes dedicados ao compositor.

Sob a regência do maestro titular, Victor Hugo Toro, seis pianistas do Laboratório da USP se revezam nos concertos. Esta semana, a Sinfônica recebe os solistas convidados Lucas Gonçalves, Richard Kogima e Leandro Motta. Nos dias 18 e 19, serão os pianistas Mateus Restani, Paulo Almeida e Lucas Tomazinho. Gonçalves, Kogima, Motta e Tomazinho já tocaram com a orquestra no ciclo Beethoven.

“No ano passado, foi muito interessante a aventura de tocar o ciclo completo de Beethoven, algo inédito. Este ano, repetimos a experiência com Chopin, um dos maiores pianistas da história e um dos criadores mais sofisticados de toda a literatura pianística do século 19. Sua escrita virtuosística está sempre atrelada a uma musicalidade refinada e uma intensa profundidade expressiva. Ele faz uma música heroica”, diz Toro. “Por duas semanas, mergulharemos na sua linguagem artística, mistura de romanticismo musical e patriotismo épico, no que será um ciclo imperdível para os amantes do piano em particular e da música em geral”, completa o maestro.

“Entre as obras apresentadas nesse ciclo de concertos, observamos um piano com função de solista e a orquestra com um papel de acompanhamento. Notamos, em todas elas, momentos de bravura com a orquestra contrastando com temas apresentados pelo piano”, comenta o pesquisador Leonardo Augusto Cardoso de Oliveira.

Para Leandro Motta, que participou do ciclo Beethoven e volta a se apresentar com a Sinfônica, esta é uma experiência impar. “No ciclo Beethoven, foi a primeira vez que solei um concerto com orquestra. Além disso, tocamos obras que nem conhecíamos, foi uma imersão na obra dele. Repetir essa experiência com as obras do Chopin é fantástico. Essa iniciativa da Sinfônica de Campinas é inédita e muito importante”, afirma. “É uma oportunidade única de ouvir, ao lado de peças mais conhecidas, outras que raramente são apresentadas. É um privilégio, para todos nós, subir ao palco com a orquestra e com o maestro Victor Hugo Toro”, diz.

No programa desta semana serão executadas as obras Fantasia Brilhante sobre Árias Polonesas Op.13-16; Andante Spianato e Grande Polonaise Brilhante, op.22-14; e Concerto para Piano nº 2, Op.21 em Fá menor -32.