Publicado 14 de Agosto de 2018 - 1h40

Por AFP

Altos funcionários da administração de Donald Trump visitaram nesta segunda-feira as zonas arrasadas pelos incêndios na Califórnia, que deixaram ao menos nove mortos.O secretário do Interior, Ryan Zinke, e o secretário da Agricultura, Sonny Perdue, realizaram a visita seguindo a trajetória do incêndio Carr em direção ao oeste de Redding, no norte da Califórnia.A visita de Zinke e Perdue ocorre dias após Trump sugerir que as políticas ambientais da Califórnia privaram os bombeiros de água e deixaram muitas árvores em pé para provocar incêndios. Zinke enfureceu os ativistas no início de sua visita, no domingo, ao negar a relação entre o aquecimento global e os incêndios florestais."Escutei o argumento da mudança climática uma ou outra vez", disse em entrevista ao canal de televisão KCRA 3, mas "isto não tem nada a ver com a mudança climática, isto tem a ver com gestão florestal ativa".Zinke acusou os ambientalistas de atrasar os projetos de manejo florestal que envolvem a eliminação de árvores, segundo o jornal Sacramento Bee.Os bombeiros conseguiram bons progressos no combate ao incêndio Carr, que já destruiu 82 mil hectares e mais de mil prédios durante o final de semana, segundo dados dos governos federal e local."Obrigado a todos os #bombeiros que mantêm a salvo as comunidades do norte da #Califórnia! O #CarrFire está devastando terrenos públicos e já é tempo de termos um bom manejo dos nossos bosques", tuitou Zinke."É importante recordar que não estão lutando apenas contra as chamas, geralmente são atingidos pessoalmente. Estamos agradecidos por seu trabalho e sua coragem", escreveu Perdue no Twitter sobre os membros das várias agências de emergência.As temperaturas se mantêm elevadas e está previsto um clima ainda mais quente e seco, além de fortes ventos, nos próximos dias.A cerca de 160 km a sudoeste de Redding, o incêndio florestal Mendocino Complex, o maior da história da Califórnia, já destruiu 138 mil hectares.Milhares de pessoas foram obrigadas a abandonar seus lares durante o último mês devido às chamas e 14 incêndios seguem ameaçando esta região da costa oeste dos Estados Unidos.

Escrito por:

AFP