Publicado 10 de Agosto de 2018 - 20h00

Por AFP

Um júri de San Francisco ordenou nesta sexta-feira à gigante agroquímica Monsanto pagar a uma vítima de câncer em fase terminal quase 290 milhões de dólares em danos por não alertar que o glifosato contido em seus herbicidas era cancerígeno.O grupo considerou que a companhia agiu com "malícia" e que seu herbicida Roundup, assim como sua versão profissional RagenrPro, contribuiu "substancialmente" para a doença terminal do jardineiro californiano Dewayne Johnson.gc/jt/rsr/db

Escrito por:

AFP